Ambiente

Lontra regressa ao Delta do Ebro 40 anos depois

Em Banya, a zona mais baixa do Ebro (Espanha), foram encontradas pegadas da lontra euroasiática, após um período de regressão populacional registado no século passado. Os cientistas esperam agora que a população de lontras do Parque Natural do Delta
Versão para impressão
Em Banya, a zona mais baixa do Ebro (Espanha), foram encontradas pegadas de lontra euroasiática, após um período de regressão populacional registado no século passado. Os cientistas esperam agora que a população de lontras do Parque Natural do Delta do Ebro volte a estabilizar-se em dez anos.

Após o desaparecimento de muitas populações da espécie na região Este da Península Ibérica – no Delta do Ebro os últimos registos de lontra datavam, até agora, de há 40 anos – a lontra euroasiática tem vindo a recuperar território no rio Ebro, mais a montante e nalgumas zonas envolventes, pelo que a descoberta de indícios no parque já era esperada.

A lontra é uma das espécies mais emblemáticas do Parque e os cientistas esperam que volte a constituir populações estáveis na área protegida, dentro de uma década.

De acordo com o jornal El Mundo, o facto de as pegadas de lontra terem sido encontradas numa zona afastada daquele que se julga ter sido o ponto de “entrada” do animal leva os cientistas a deduzir que existirão mais indivíduos espalhados pelo parque.

[Notícia sugerida pela utilizadora Raquel Baêta]

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close