Ambiente

Leopardos ‘portugueses’ dão à luz na Rússia

O casal de leopardos-da-pérsia enviado pelo Zoo de Lisboa para a Rússia deu à luz duas crias num centro de reprodução do Cáucaso. Este é o primeiro caso de sucesso, em 50 anos, na repopulação desta espécie que se encontra extinta naquele país.
Versão para impressão
O casal de leopardos-da-pérsia enviado pelo Zoo de Lisboa para a Rússia deu à luz duas crias num centro de reprodução do Cáucaso. Este é o primeiro caso de sucesso, em 50 anos, na repopulação desta espécie que se encontra extinta naquele país.
 
Os progenitores, Zadig e Andrea, foram enviados em Outubro do ano passado pelo Jardim Zoológico de Lisboa para o Centro de Reprodução e Reintrodução do Parque Natural de Sochi, na Rússia, no âmbito do Programa de Reintrodução do Leopardo-da-Pérsia. 
 
Em comunicado enviado ao Boas Notícias, o Zoo de Lisboa avança ter sido a primeira instituição zoológica no mundo a transferir um casal de leopardos-da-Pérsia para a Rússia, tendo sido selecionado para colaborar neste programa, por apresentar os melhores índices de reprodução desta subespécie felina a nível europeu. 
 
Zadig e Andrea foram o primeiro casal do grupo do projeto a reproduzir, dando à luz duas crias, cujo sexo é ainda desconhecido, no passado dia 12 de Julho. A família será, agora, reintroduzida no seu habitat natural. Depois de desenvolver as técnicas necessárias de sobrevivência, espera-se que deem início a uma nova população destes felinos nas montanhas do Cáucaso.
 

 
Simbolismo do Leopardo-da-Pérsia na Rússia

O Leopardo-da-Pérsia é um animal de grande estima e simbolismo para a Rússia, sendo inclusivamente o logótipo oficial dos Jogos Olímpicos de Inverno, que irão decorrer em Sochi, em 2014. 
 
Segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, o Leopardo-da-Pérsia é uma das subespécies mais ameaçadas. A sua população total em estado selvagem está estimada entre 870 a 1.290 indivíduos e a sua distribuição tem vindo a ser cada vez mais fragmentada. 
 
A existência do Leopardo-da-Pérsia corre perigo devido à redução do 'habitat' natural, à caça para o comércio ilegal da pele e dos ossos e ainda à perseguição direta que lhe é feita, por ser considerado um predador do gado doméstico e uma ameaça às povoações.
 
O Programa de Reintrodução do Leopardo-da-Pérsia foi criado pelo Ministério dos Recursos Naturais e Ambiente da Federação Russa e visa a conservação desta subespécie, que já não existe em estado selvagem naquele país.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close