Sociedade

Jovens pedem “Portugal Melhor” ao primeiro-ministro

São jovens, mas estão preocupados com o futuro. Por saberem que é para eles que está guardado o amanhã, uniram-se para enviar ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, uma "carta" em forma de vídeo na qual deixam claro o desejo de um "Portugal Melho
Versão para impressão
São jovens, mas estão preocupados com o futuro. Por saberem que é para eles que está guardado o amanhã, uniram-se para enviar ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, uma “carta” em forma de vídeo na qual deixam claro o desejo de um “Portugal Melhor”: mais justo, mais responsável, mais íntegro e mais igualitário.
 
por Catarina Ferreira
 
A ideia, que começou a tomar forma em Novembro, antes da Greve Geral, foi de Beatriz Costa, de 16 anos, estudante do 10º ano de Artes natural de Coimbra, depois de um dos pequenos-almoços habituais com o seu pai. 
 
“Para não variar, estava a queixar-se do estado do país enquanto via as notícias na televisão. Ouvi as 'queixas' dele até ao fim, às vezes não ligando muito – o que posso eu fazer, não é ? – mas as suas últimas palavras antes de eu sair da cozinha foram: Bia, precisamos de uma revolução! Diz aos teus amigos!”
 
Estava lançado o mote para vídeo d'”A Carta”. Embora, naquele momento, não tenha dado muita importância à questão, a mensagem ficou. “Nesse dia contei a uma das minhas melhores amigas e pensámos, as duas, escrever uma carta ao primeiro-ministro. Uma carta a sério, para enviar pelo correio. Mas nessa tarde escrevi 'A Carta'”, recorda Beatriz em entrevista ao Boas Notícias.
 
Pouco a pouco foi espalhando a ideia pelos amigos, até que esta chegou ao colega João Duque, vencedor, em 2012, do prémio de jovem realizador no concurso de vídeo Inatel 2012 com a curta “Para ti, Leonor” (que pode ser visualizada AQUI), que se responsabilizou pela gravação e edição das imagens.
 
Duas semanas depois, Beatriz e João deram início ao “recrutamento” dos seus amigos, procurando convencê-los a participar e pedindo autorização ao diretor – “que aceitou logo o projeto” – da Escola Secundária Avelar Brotero, em Coimbra, onde estuda, para que as gravações ali decorressem.
 
Terminadas as gravações, João Duque editou o filme e no dia 22 de Dezembro estava já no Youtube “A Carta”. João, de 15 anos, também estudante de Artes, conta ao Boas Notícias que aceitou colaborar e ajudar a colega a fazer o filme porque gostou “muito da carta” e julgou tratar-se de uma “ideia muito interessante”.

No entanto, sublinha o jovem, que começou “a fazer filmes quando tinha 8 ou 9 anos, com uma câmara que havia para a consola PSP”, editando-os depois “no Movie Maker”, os seus trabalhos futuros não deverão ter “conteúdo político”, sendo o seu principal objetivo “superar” as suas “próprias expetativas”
 

10 mil visualizações somadas em apenas 24 horas
 
Nesta “Carta”, estes jovens estudantes de Coimbra pedem a Pedro Passos Coelho uma prenda de Natal muito especial e que, apesar de difícil, acreditam estar ao seu alcance.

 

“Queremos um Portugal Melhor. Queríamos que o primeiro-ministro visse o vídeo e percebessse o nosso ponto de vista. Falamos por nós, jovens, mas penso que também por muitos adultos, porque estamos a passar tempos difíceis e, pelo pouco que percebo, ele podia fazer alguma coisa pelo país. É o nosso primeiro-ministro, devia ser um exemplo a seguir e preocupar-se connosco”, explica Beatriz.

 
“Na carta apelamos aos valores morais, porque, a meu ver, são a base da nossa sociedade. Sem estes valores não era possível ter um país melhor, mesmo que não houvesse crise financeira. Se existissem valores como o altruísmo talvez não houvesse nem a corrupção, nem o egoísmo que nos fizeram chegar a esta situação”, defende ainda a jovem.

 
Nas primeiras 24 horas, o vídeo realizado pelos jovens alcançou mais de 10 mil visualizações no Youtube e, até ao momento, já foi visto por mais de 78 mil pessoas. “[A reação das pessoas tem sido] bem diferente do que eu esperava”, confessa ao Boas Notícias. “Queria que esta fosse importante e que o primeiro-ministro a visse, mas nunca pensei que se propagasse tão rápido e que produzisse tantos efeitos”, admite Beatriz.
 
O projeto já recebeu destaque em vários meios de comunicação social e têm-se multiplicado os comentários em redes sociais como o Facebook. “Muitas pessoas têm dito que gostam do nosso trabalho e que acham que é uma grande iniciativa, o que é muito gratificante”, sublinha a mentora da ideia.
 
Porém, como é natural, também há críticas, algo que Beatriz aceita com tranquilidade. “Não se pode agradar a todos. O melhor de tudo é haver amigos nossos, jovens como nós, que nos agradecem e dizem que gostaram muito porque era mesmo aquilo que pensavam e sentiam”, destaca.
 
Não se sabe se a mensagem destes estudantes terá já chegado a Pedro Passos Coelho, mas, apesar disso, os autores desta “carta” estão satisfeitos com a repercurssão do seu trabalho. 
 
“Gostava mesmo que 'A Carta' chegasse ao primeiro-ministro e que ele fizesse mesmo com que pudéssemos ter um Portugal melhor daqui em diante”, mas “já ter passado por mais de 70 mil pessoas significa muito e espero que esta nossa iniciativa faça movimentar muitas outras em sinal de esperança e de luta contínua pelos nossos direitos”, conclui Beatriz.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close