Mundo

Jovem com paralisia cerebral escreve livro com o pé

Uma jovem chinesa com paralisia cerebral decidiu desafiar todas as suas limitações e está a escrever um livro... com o pé. Hu Huiyan, de 21 anos, consegue digitar entre 20 a 30 palavras por minuto e já completou seis dos oito capítulos da sua obra.
Versão para impressão
Uma jovem chinesa com paralisia cerebral decidiu desafiar todas as suas limitações e está a escrever um livro… com o pé. Hu Huiyan, de 21 anos, consegue digitar entre 20 a 30 palavras por minuto e já completou seis dos oito capítulos da sua obra de ficção.
 
Quando nasceu, os médicos disseram aos pais de Hu Huiyan que a filha tinha apenas alguns dias de vida, mas a chinesa sobreviveu e, 10 meses depois, acabou por ser diagnosticada com paralisia cerebral. 
 
 “As únicas partes do corpo que ela conseguia mover eram a cabeça e o pé, mas sempre foi incrivelmente determinada e acabou por aprender a fazer todo o tipo de tarefas diárias usando apenas o pé”, conta Peng Huiyan, pai da jovem, em declarações à agência de notícias CEN.
 
Apesar dos obstáculos que o seu próprio corpo lhe colocou desde o início da vida, Hu Huiyan, residente numa aldeia rural na província chinesa de Anhui, no leste da China, onde ainda é difícil para muitas crianças ir à escola, sempre primou pela determinação e aprendeu, sozinha, a ler e a escrever com a ajuda das legendas dos programas de televisão.
 
“Escrever usando somente o pé não é fácil. Quando está a digitar no teclado, a Hu tem de estar presa à cadeira de rodas para se manter estável”, explica a mãe da jovem, Sun, recordando que, embora tenha tido, em pequena, dificuldades para aprender a falar, a filha fazia questão de repetir cada palavra “mil vezes” até conseguir dizê-la. 
 
“Não sou um génio, mas sou muito concentrada. Quando temos uma deficiência como esta, temos de aprender a ter paciência”, admite a jovem numa entrevista uma estação de televisão local.
 
Recorrendo apenas ao seu pé esquerdo e à sua força de vontade, Hu Huiyan já escreveu seis capítulos do seu livro, um romance com mais de 60.000 palavras, tudo porque, segundo garante, vive fascinada com a oportunidade de ler e de escrever e com o facto de essas 'habilidades' lhe permitirem comunicar com os outros.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close