Fitness & Bem-estar

Jornal brasileiro destaca as melhores feiras de Lisboa

O jornal Globo, no Brasil, escreveu um artigo com um apanhado dos melhores mercados e feitas para 'garimpar tesouros' em Lisboa. Segundo a publicação, tanto a Feira da Ladra, como o Mercado da Ribeira e as lojas de vinil espalhadas pela capital "esco
Versão para impressão
O jornal Globo, no Brasil, escreveu um artigo que revela os melhores mercados e feitas para 'garimpar tesouros' em Lisboa. Segundo a publicação, tanto a Feira da Ladra, como o Mercado da Ribeira e as lojas de vinil espalhadas pela capital “escondem verdadeiras relíquias na capital portuguesa”. 
 
“Quando programar a sua viagem a Lisboa, certifique-se que de que passa pelo menos um fim de semana na cidade, que é quando acontecem as feiras e mercados que nos ajudam a compreender melhor o quotidiano daquele país através dos mais variados objetos” que ali são vendidos, introduz o jornalista Eduardo Maia. 
 
Destaque, claro, para “a mais famosa” de todas as feiras – a Feira da Ladra -, um “divertido 'mercado de pulgas' (tradução literal da expressão inglesa ''flea market', com direito a artistas e comida de rua”, às terças e sábados, na Graça. Com uma história que remonta ao século XIII, a mesma passou por vários pontos da cidade até se fixar no endereço atual, no Campo de Santa Clara, em 1882.

Aqui “há de tudo: azulejos de demolições, roupas usadas, brinquedos antigos, aparelhos de som que já não se encontram à venda, artigos de decoração, artesanato e até cartas e fotos de família”, conta o jornal. 
 

Para além da Ladra, muitos dos feirantes que nela participam vão também para a Feira de Belém e outros para o Mercado das Coleções, que acontece todos os domingos na Mercado da Ribeira, no Cais do Sodré. Aqui é possível “encontrar moedas e notas antigas de todo o mundo, selos, albuns de figuras, pacotinhos de sal e açúcar, rótulos, embalagens e outros tantos itens capazes de conquistar os mais dados a coleções”.
 
Para os amantes de vinil também não falta onde se “perderem e divertirem em Lisboa”, sendo que as duas maiores referências, segundo o Globo, são as lojas Carbono e Louie Louie, que também vendem CDs e DVDs, embora também seja dado destaque à Discoleção, no Bairro Alto.

“Com um atendimento mais personalizado e um ambiente de reunião entre amigos, este estpaço é um perigo para quem perde facilmente a noção do tempo, entre um lado B de Led Zepplin e um compacto de Amália Rodrigues”, conclui o jornalista brasileiro.

Leia o artigo completo (em português do Brasil) AQUI.

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close