Desporto Em Destaque

Joana Schenker faz história e vence Sintra Portugal Pro

Apenas Manuel Centeno, em 2003, e Catarina Sousa, em 2009, ergueram o troféu de campeões na Praia Grande.
Versão para impressão
por redação

Escreveu-se história no Sintra Portugal Pro, com a bandeira portuguesa a subir ao lugar mais alto do pódio pela terceira vez em 22 anos de evento, graças a Joana Schenker, bodyboarder algarvia que bateu a ex-campeã mundial Alexandra Rinder (Canárias) numa final emocionante. Em terceiro lugar, a campeã mundial em título, Isabela Sousa (Brasil).

Imediatamente após a buzina que anunciou o fim da final feminina e o triunfo histórico de Joana Schenker, a atleta de Vila do Bispo não conseguia esconder a profunda emoção:

“Nem tenho palavras para o que esta a acontecer, é um sonho tornado realidade. Lembro-me de ter vindo a este campeonato pela primeira vez há 14 anos e vê-las vencer aqui e parecia-me uma coisa do outro mundo, e agora, ao fim destes anos todos, conseguir o mesmo…é fruto do trabalho, se calhar é isso.”

Esta vitória, na prova mais pontuada do circuito feminino, lança a portuguesa no rumo de um eventual título mundial profissional, feito que seria inédito para um bodyboarder nacional.

“Agora vou começar a pensar no Mundial, pois esta vitória abre-me a porta para a possibilidade de ser campeã mundial. Agora tudo é possível e gostaria de dedicar este título ao Francisco Pinheiro, a pessoa que me tem acompanhado sempre, que me tem acompanhado sempre e que me dá mais nas orelhas (risos)”, assumiu Schenker.

Destaque também para o triunfo do havaiano Sammy Morretino na prova de Bodyboard Dropknee que assim conquistou o seu primeiro título mundial numa final frente ao compatriota Dave Hubbard, 7 vezes campeão do Mundo e lenda viva da modalidade. O terceiro lugar “ex-aequo” foi para o perunano César Bauer, outro antigo campeão mundial da especialidade e para o francês Amaury Lavernhe.

“Há 10 anos que assisto a este evento online e é fantástico estar aqui e ganhar. E bater o Dave Hubbard para o título mundial é incrível, uma benção dos céus.”

Na prova Open, as honras foram para o sul-africano Ian Campbell, líder do “ranking” APB, que bateu o brasileiro Uri Valadão. Alex Uranga foi terceiro classificado. O campeão mundial em título, Pierre Louis Costes, ficou pelo quarto lugar.

“Foi uma semana complicada, com condições loucas, por isso vencer assim é excelente. Qualquer vitória no Mundial é preciosa, mas ainda não estou a pensar no título mundial, ainda temos mais alguns eventos e há que manter a cabeça fria até ao fim.”

Finalmente, no projunior (sub-21), vencido pelo junior Bruno Martin, excelente prestação dos portugueses Tomás Rosado e Joel Rodrigues, eliminados na meia-final.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close