Mundo

Japão: Jornalistas redigem jornal à mão

Depois do apagão causado pelo sismo que, a 11 de março, assolou o Japão, os jornalistas do diário Ishinomaki Hibi Shimbun resolveram redigir o jornal à mão, garantindo dessa forma que a população local continuasse informada.
Versão para impressão
Depois do apagão causado pelo sismo que, a 11 de março, assolou o Japão, os jornalistas do diário Ishinomaki Hibi Shimbun resolveram redigir o jornal à mão, garantindo dessa forma que a população local continuasse informada.

Seis elementos da redação ficaram encarregues de recolher histórias para publicar, enquanto que outros três jornalistas dedicavam, todos os dias, uma hora e meia à transcrição dos artigos, servindo-se de marcadores de feltro e folhas A3. Os jornais manuscritos eram depois afixados à entrada dos centros de evacuação de Ishinomaki.

Ao longo de seis dias consecutivos, os jornalistas informaram os residentes que o sismo “foi o maior da história do Japão”, deram conta da chegada de equipas de resgate a algumas das regiões atingidas pelo desastre natural, incentivaram a comunidade a ultrapassar as dificuldades através da entreajuda e deram a notícia de que a energia elétrica havia sido reposta.

O Museu do Jornalismo de Washington, nos Estados Unidos da América, adquiriu sete dessas edições especiais e prevê expô-las ao público a partir do dia 02 de maio, noticia o Washington Post.

“Estes jornalistas estavam empenhados em providenciar informação crucial à sua comunidade e usaram apenas papel e caneta para o fazer”, lê-se no site do museu.

A cidade de Ishinomaki foi uma das mais atingidas pelo sismo e posterior tsunami de 11 de março. Estima-se que 80% dos edifícios da cidade tenham sido destruídos, 1300 pessoas morreram e mais de 2700 continuam desaparecidas.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close