Sociedade

Já possível apresentar propostas para Lisboa

Até dia 12 de Junho, os munícipes de Lisboa podem submeter as suas propostas para o Orçamento Participativo (OP) da cidade. Este ano o OP terá um orçamento de 2,5 milhões de euros para concretização dos projetos eleitos.
Versão para impressão
Até dia 12 de Junho, os munícipes de Lisboa podem submeter as suas propostas para o Orçamento Participativo (OP) da cidade. Este ano o OP terá um orçamento de 2,5 milhões de euros para concretização dos projetos eleitos.
 
Após a fase de inscrições, dá-se início à análise técnica das propostas e será apresentada, no ínicio de Outubro, uma lista provisória de projetos para depois arrancar o processo de votação pública, de 15 de Outubro a 20 de Novembro.
 
As propostas poderão ser entregues online, nas sessões participativas, no atendimento presencial, na rua de S. Julião nº 149 (Baixa de Lisboa, junto à rua do Ouro), todas as quartas e sextas-feiras entre as 12h30 e as 15horas ou ainda em qualquer balcão de atendimento da CML.
 
Apesar de apenas ter sido lançado há cinco dias, o OP já recebeu 13 propostas dos cidadãos, entre elas um projeto que quer espalhar chuveiros públicos em jardins, parques e espaços verdes, para que as pessoas que praticam atividade física ou para as pessoas sem abrigo possam tomar um banho. 
 
88 projetos aprovados desde o primeiro OP
 
Desde o primeiro o OP, em 2008, já foram apresentadas mais de 5 mil propostas das quais foram aprovados 88 projetos, com destaque para o Centro de Inovação da Mouraria, a Casa dos Animais de Lisboa, o Rocódromo Municipal Indoor (modalidade de escalada), o Circuito Lisboa a Mexer (4 provas de corridas e caminhadas na cidade), a reabilitação da Igreja de S. Cristóvão, a incubadora de empresas Start Up Lisboa e muitos outros.
 
A abertura das candidaturas foi anunciada segunda-feira pelo pridente da camara Fernando Medina. No evento, o autarca salientou o êxito desta iniciativa para a cidade salientando que “Lisboa foi a primeira capital a ter um orçamento participativo e já é um elemento de sucesso na governação da cidade”. 
 
“É uma forma de dar poder às comunidades para desenvolverem os seus próprios projetos, é a capacidade de mobilizar as energias das pessoas: estudantes, grupos de amigos, coletividades, freguesias, é dar a voz a todos na cidade. Ao longo destes anos o OP foi uma importante ferramenta que nos apontou o futuro para a cidade de Lisboa”, acrescentou o autarca.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close