Cultura

IVA na cultura fica-se nos 13%

NULL
Versão para impressão
O secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, entregou esta segunda-feira no Parlamento uma contraproposta em relação às futuras taxas de IVA a aplicar na cultura. Segundo o documento, os espetáculos passam a ser taxados a 13% e não a 23%, como anunciado anteriormente.

Apesar de não ser perfeita, a medida visa anular os efeitos negativos que um IVA superior poderia ter sobre a cultura em Portugal. A taxa não agrada aos agentes culturais que preferiam um IVA reduzido, nos 6%, mas demonstra um recuo face à anterior proposta do executivo.

Desta forma, segundo avança o Correio da Manhã, as “atividades performativas” como a música, o teatro, canto, cinema e atividades tauromáquicas passam a ser taxadas com um IVA de 13%. No entanto, no que diz respeito às atividades desportivas, o IVA vai mesmo subir para os 23%.

A proposta de alteração foi entregue esta segunda-feira de manhã no Parlamento, pela maioria PSD/CDS-PP. Anteriormente o secretário de Estado da Cultura tinha já avançado que este era um assunto em aberto e que merecia ser discutido com os agentes culturais. Durante a Comissão de Orçamento e Finanças e da Cultura, no dia 17 de Novembro, o deputado disse que “o assunto não está fechado”.

Também o líder da oposição, António José Seguro, reforçou a necessidade de repensar o IVA na cultura, dizendo que esta “é um bem fundamental, não é um luxo”. A proposta vai ainda ser alvo de discussão.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close