Mundo

Itália aprova lei contra desperdício alimentar

Depois da França, agora foi a Itália a aprovar uma lei contra o desperdício alimentar. A partir de agora, em Itália, os comerciantes de produtos alimentares terão benefícios sempre que doarem alimentos
Versão para impressão
Depois da França, agora foi a Itália a aprovar uma lei contra o desperdício alimentar. A partir de agora, em Itália, os comerciantes de produtos alimentares terão benefícios sempre que doarem alimentos que estejam perto do fim do prazo. A lei abrange também a doação de medicamentos.
 
A medida, proposta pelo Partido Democrático, foi aprovada na semana passada por uma larga maioria do Senado italiano. Ao contrário da lei francesa, que aposta na penalização dos distribuidores que praticarem ações de desperdício alimentar, a lei italiana oferece benefícios às lojas que doarem bens alimentares que ainda estejam aptos para consumo.
 
Para garantir a segurança alimentar, foi estabelecida uma longa lista de produtos que podem ser doados no fim do prazo (como aqueles produtos onde se lê “consumir de preferência entre a data x ou y, porque são produtos cuja validade se estende para alem da que esta impressa na embalagem”). Sambem o pão que não foi vendido ao fim de 24 horas é considerado apto para doação.

Farmácias e produtos agrícolas
 
Os comerciantes que apostarem neste sistema de doação terão benefícios fiscais uma vez que poderão usar o recibo do valor doado para recuperarem o IVA. O mesmo vai acontecer com farmácias ou parafarmácias que doem medicamentos perto do fim de vida.
 
Até agora, para proceder a doações, os comerciantes de produtos alimentarem enfrentavam complicadas burocracias – teriam de pedir autorização especial com vários dias de antecedência – além de perderem o direito ao reembolso do IVA. Agora, o comerciante só têm que pedir uma única autorização para ficarem aptos a doar, assumindo também a responsabilidade da qualidade alimentar do produto doado.
 
A lei abrange também os produtos agrícolas: as associações de solidariedade passam a ter o direito de recolher as frutas e os legumes que os produtores deixarem no chão após a colheita mas que ainda estão em bom estado para consumo. 

Lei incentiva italianos a levar restos para casa
 
A nova lei vai também investir numa campanha contra a vergonha que existe em Itália em levar os restos do restaurante para casa. A campanha “saco família”, pretende lutar contra este preconceito cultural muito comum entre os italianos, para tornar os cidadãos mais conscientes da luta contra o desperdício. “Os italianos têm vergonha de levar as sobras para casa, mas lá fora isto é a norma entre os consumidores”, disse a deputada do PD que apresentou a lei, Maria Chiara Gadda, ao jornal La Repubblica.
 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close