Negócios e Empreendorismo

Ingleses localizaram jazidas de petróleo em Portugal

A empresa britânica IONIQ Resources, com sucursal em Lisboa, terá identificado seis jazidas de petróleo no território continental português, através de uma tecnologia inovadora que envolve satélites.
Versão para impressão
A empresa britânica IONIQ Resources, com sucursal em Lisboa, terá identificado seis jazidas de petróleo no território continental português, através de uma tecnologia inovadora que envolve satélites e ressonâncias magnéticas. A informação é avançada pela revista Sábado.

De acordo com informação apurada pela revista, e com base nos valores atuais do crude, estas reservas representarão cerca de 43 mil milhões de euros. O petróleo português estará a cerca de 2,5 mil metros de profundidade, ou seja, a uma distância considerada acessível. 
 
Damon Walker, um administrador da IONIQ ligado à sucursal portuguesa da empresa, disse à revista que as jazidas foram identificadas através de uma tecnologia que recorre a satélites para interpretar frequências emitidas por diversos materiais, como o crude e o gás.

O mesmo responsável afirma que a IONIQ não desenvolveu a tecnologia mas tem a licença exclusiva da sua utilização nos próximos três anos.


A Sábado avança que teve acesso a uma carta enviada pela IONIC ao governo português, há cerca de um ano, onde os responsáveis da empresa britânica garantem que “estas estruturas podem ser uma importante fonte de riqueza nacional” para Portugal. 

O ministro do Ambiente e da energia confirmou à revista que houve uma reunião entre o seu ministério e representante da IONIC mas afirma que a empresa não apresentou qualquer estudo sobre as jazidas. 

No site oficial da IONIQ Portugal, a empresa apresenta-se como uma intermediária entre “compradores e vendedores interessados em produtos que vão desde os “combustíveis refinados ao crude, passando pelo outro e pedras preciosas, entre outros”. 

Na ficha técnica, a sucursal da empresa apresenta quatro diretores com nomes portugueses, entre eles Paulo Caetano que, segundo a Sábado, foi administrados da Fomentinvest, empresa onde o primeiro-ministro Passos Coelho trabalhou antes de ser eleito líder do PSD.

Notícia sugerida por Maria Nova

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close