Inovação e Tecnologia

Impressora 3D poderá construir uma casa num só dia

Nos EUA, uma equipa de cientistas está a trabalhar no desenvolvimento de uma impressora 3D gigante capaz de construir uma casa inteira em menos de um dia.
Versão para impressão
Nos EUA, uma equipa de cientistas está a tentar levar mais longe o conceito de impressão a três dimensões: Berokh Khoshnevis, professor da Universidade da Califórnia do Sul, e os seus alunos, estão a trabalhar no desenvolvimento de uma impressora 3D gigante capaz de construir uma casa inteira em menos de um dia.
 
A tecnologia “Contour Crafting”, que Khoshnevis tem vindo a aperfeiçoar com os estudantes da universidade ao longo da última década no Centro para Tecnologias de Fabrico Rápido e Automatizado, já permitiu imprimir, em laboratório, várias “divisões” de uma casa, depois de ter aperfeiçoado a disposição de cimento em camadas.
 
O principal objetivo do trabalho do professor universitário e dos seus estudantes é combater as condições desumanas em que, no século XXI, vivem ainda mil milhões de pessoas em todo o mundo e que são “terreno fértil para a doença, o crime, a iliteracia e a sobrepopulação”.
 
“Hoje em dia, quase tudo é feito de forma automática: a nossa roupa, os nossos sapatos, os nossos eletrodomésticos, o nosso carro. A única coisa que continuamos a construir à mão são as nossas casas”, através de processos “muito dispendiosos” e “muito perigosos” para os trabalhadores, explicou Khoshnevis durante uma conferência TED na qual participou em Abril do ano passado.
 
Segundo o seu mentor, “[a tecnologia] Contour Crafting consiste, basicamente, em 'aumentar' a escala da impressão 3D até ao nível da construção de edifícios”. “O que pretendemos criar são bairros inteiros construídos em muito menos tempo, por muito menos dinheiro, de forma muito mais segura e com uma flexibilidade arquitetónica sem precedentes”, ilustrou.
 
Trata-se, portanto, de um sistema destinado a oferecer “arquitetura de alta qualidade” a um preço “incomparável, equivalente apenas ao de construções básicas criadas para situações de emergência ou contentores pré-fabricados”, poupando também, ao mesmo tempo, o ambiente, por via da diminuição das emissões poluentes.


Equipa imprimiu com sucesso uma parede de cimento recorrendo a um braço robótico

Construção é feita camada a camada
 

Mas, afinal, como funciona este género tão particular de impressão 3D que traz consigo a hipótese de erguer uma casa em menos de 24 horas? 
 
“O principal material utilizado é o cimento [e outros produtos afins] e o edifício é construído camada por camada. Durante o processo podem ser feitas muitas coisas, incluindo reforços automáticos, instalação automática de infraestruturas de canalização e eletricidade, pintura ou colocação de azulejos”, revelou o professor universitário.
 
A rapidez, eficiência e o caráter repetitivo do processo não implicam, no entanto, que as construções tenham de ser todas exatamente iguais. “Todos os edifícios podem ter uma aparência diferente”, assegurou Khoshnevis.
 
Na realidade, customizar cada uma das casas é muito simples. “Tudo o que é necessário fazer é introduzir alterações num programa de computador, sendo, depois, o design arquitetónico enviado diretamente para a impressora”, esclareceu. “As paredes não têm de ser rectilíneas: é possível conseguir curvas e outras caraterísticas 'exóticas' sem custos adicionais”, exemplificou ainda.
 
Depois de edificada a estrutura, falta apenas acrescentar portas, janelas, rodapés e outros acabamentos, uma tarefa que fica a cargo dos trabalhadores e não das máquinas. “O que esperamos com esta tecnologia é uma redução significativa na construção de habitações, diminuindo os custos ao nível dos materiais e da mão-de-obra”, sintetizou o responsável pelo projeto. 
 
Um cenário deste tipo, em que a máquina toma o lugar do homem, traz, porém, muitas preocupações. Como resposta aos mais céticos e aos que temem o desemprego em massa dos trabalhadores da construção civil caso uma tecnologia como esta se popularize, Khoshnevis deixou um recado, dizendo acreditar que “a realidade é que muitos novos empregos podem ser criados” com este sistema.
 
“Atualmente, as mulheres, por exemplo, e elementos de outros grupos que, hoje em dia, têm poucas oportunidades de trabalhar em construção, podem, com o Contour Crafting, conseguir um emprego em áreas mais criativas do sector”, sugeriu.

Veja abaixo um vídeo que ilustra o funcionamento desta impressora.
 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close