Saúde

iMM recebe 90 mil euros para estudar tumores cerebrais

O Centro de Investigação de Tumores Cerebrais (CITC) do Instituto de Medicina Molecular de Lisboa (iMM) acaba de assinar um protocolo, com a Fundação Millennium bcp, no valor de 90 mil euros, para investigar tumores cerebrais, sobretudo no âmbito da
Versão para impressão
O Centro de Investigação de Tumores Cerebrais (CITC) do Instituto de Medicina Molecular de Lisboa (iMM) acaba de assinar um protocolo, com a Fundação Millennium bcp, no valor de 90 mil euros, para investigar tumores cerebrais, sobretudo no âmbito da pediatria.
 
O CITC foi criado em 2011 com o objetivo de identificar os mecanismos responsáveis pelo aparecimento e desenvolvimento dos tumores cerebrais, em particular da população infantil, e de desenvolver novos tratamentos adequados a cada doente. 
 
O valor agora angariado servirá para iniciar estudos moleculares avançados em amostras humanas de tumores cerebrais com a realização de estudos genéticos que vão caracterizar os mecanismos responsáveis pela génese e agressividade dos tumores cerebrais e identificar novos alvos terapêuticos. 
 
O iMM Lisboa pretende ainda canalizar a verba agora doada pela Fundação Millennium bcp para desenvolver modelos animais a fim de testar novas terapias, expandir a capacidade de armazenamento de amostras biológicas e planear missões anuais a Moçambique, no âmbito de um protocolo de cooperação entre o Centro Académico de Lisboa (CAML), do qual o iMM Lisboa faz parte, e o Hospital Central de Maputo. 
 
Este protocolo com Moçambique contempla quatro áreas: estabelecimento de um canal de comunicação para discussão de casos clínicos, diagnóstico e triagem de doentes após realização de exames; formação médica; investigação científica na área dos tumores cerebrais pediátricos através da criação de um Banco de tumores cerebrais no Hospital Central de Maputo e do ensino de técnicas de biologia molecular localmente ou através de intercâmbios de investigadores no iMM Lisboa.
 
A maior coleção nacional de amostras biológicas de tumores
 
Ao longo dos três últimos anos, o CITC, com o apoio da Fundação Millennium bcp, alcançou importantes marcos como a criação de um banco de tumores cerebrais no Biobanco do iMM Lisboa, com o início da recolha de amostras biológicas de doentes operados a tumores do sistema nervoso no Centro Hospitalar Lisboa Norte. 
 
Posteriormente esta colheita foi progressivamente alargada a outros hospitais públicos e privados. Até à data, foram armazenadas 8.911 amostras biológicas sendo que este banco constitui a maior coleção nacional de amostras biológicas deste tipo, avança o iMM num comunicado enviado ao Boas Notícias. 

A cerimónia de assinatura do protocolo contou com a presença de Maria Carmo-Fonseca, presidente do iMM Lisboa, João Lobo Antunes, presidente emérito do iMM e mentor do projeto, Cláudia Faria, responsável pelo CITC, Carlos Martins, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte, José Ferro, neurologista e representante da Faculdade de Medicina de Lisboa, Fernando Nogueira, presidente do Conselho de Administração da Fundação Millennium bcp.

 

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close