Sociedade

Idosos lusos entre os que mais contactam os amigos

Portugal encontra-se entre os cinco países europeus em que os idosos têm mais contactos com amigos, segundo o estudo "Envelhecimento da População Portuguesa: dependência, ativação e qualidade", do Conselho Económico Social (CES).
Versão para impressão
Portugal encontra-se entre os cinco países europeus em que os idosos mais contactam com amigos, concluiu o estudo “Envelhecimento da População Portuguesa: dependência, ativação e qualidade”, desenvolvido pelo Conselho Económico Social (CES).
 
O estudo revelou que, “em cerca de metade dos países europeus, uma em cada 10 pessoas com 65 e mais anos não tem  ligação com amigos, nem pessoalmente nem por qualquer outra forma de contacto”, pelo que a família tem um papel importante na prevenção do isolamento nas idades mais avançadas.
 
Por sua vez, de acordo com a Lusa, que teve acesso aos dados, Portugal encontra-se “numa situação confortável em relação à maioria dos restantes países da Europa, sendo que apenas cerca de dois por cento da população de 65 e mais anos não tem contacto com amigos”.
 
Além disso, este estudo baseado em dados do Eurostat relativos a 2010, refere ainda que Portugal se encontra entre os cinco países com maiores relações de amizade para o grupo etário de 65 e mais anos.
 
Este facto contrasta com a tendência europeia, em que, com o aumento da idade, aumenta também a percentagem de pessoas que não têm relações de amizade por vários motivos, como a morte dos amigos e a dificuldade de os substituir ou encontrar novas amizades.
 
No que diz respeito ao isolamento dos idosos e ao facto de não obterem qualquer ajuda, o estudo constatou que este indicador não é agravado pela questão da idade, sobretudo se se comparar com o indicador da relação com os amigos.

Solidão “não é homogénea” no território português
 

Portugal é um dos exemplos em que a idade não afeta grandemente a existência de ajuda, ocupando o terceiro lugar entre os países membros da União Europeia, “o que mostra a existência e a importância de redes informais de solidariedade (familiares, amigos e vizinhos).
 
No entanto, a questão da solidão “não é homogénea em todo o território, apresentando diferenças significativas”. Numa análise feita aos Censos de 2011, concluiu-se que cerca de 1,2 milhões de pessoas com mais de 65 anos vivem sozinhas e cerca de 800 mil vivem com outra pessoa idosa.
 
No Continente, é na região de Lisboa onde se encontram mais idosos a viverem sós (22,3%), acima do Alentejo (21,9%) e do Algarve (20,7%). Já o número de idosos que vivem com outros idosos tem maior expressão no Alentejo (43,5%), seguindo-se se a Região Centro e Algarve.
 
Em entrevistas realizadas para este estudo, que vai ser apresentado no seminário do CES “Envelhecimento da população: consequências económicas, sociais e organizacionais” cerca de 88% dos portugueses referiram ainda que os idosos não constituem um fardo para a sociedade. 

Consulte AQUI mais informações sobre o seminário que vai decorrer no dia 26 de Junho.

Notícia sugerida por Lídia Dinis

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close