Espetáculos e Exposições

Homenagem a Carlos Paredes em Coimbra

Vários músicos da cena jazz, rock e da música coimbrã reúnem-se, a 30 de setembro, no palco do Teatro Académico Gil Vicente, em Coimbra, para prestar homenagem e recriar o repertório do guitarrista Carlos Paredes, falecido em 2004.
Versão para impressão
Vários músicos da cena jazz, rock e da música coimbrã reúnem-se, a 30 de setembro, no palco do Teatro Académico Gil Vicente, em Coimbra, para prestar homenagem e recriar o repertório do guitarrista Carlos Paredes, falecido em 2004.

A iniciativa “República Paredes” realiza-se pela segunda vez, dsta feita com a participação dos músicos Ricardo Dias, Pedro Lopes e Bruno Costa, nas guitarradas coimbrãs, Paulo Figueiredo, Quiné, Paulo Salgado e Luís Oliveira, no jazz, e os Belle Chase Hotel, no rock.

“Das guitarradas ao rock passando pelo jazz, com artistas que já trabalharam o repertório de Carlos Paredes sem o melindrar, os músicos conferirão através das suas novas abordagens um toque único e atual ao reportório original do grande Carlos Paredes”, referiu à agência Lusa Lourenço Leitão, da Metaformações, entidade responsável pela organização do evento.

O espetáculo será gravado “não para fins comerciais mas para memória futura e para um dia poder ser visionado num espaço dedicado a Paredes e à música de Coimbra”, revelou o mesmo responsável.

“É importante reavivar a memória do extraordinário Carlos Paredes, e renovar o seu repertório através de um trabalho inovador, despertando o interesse pela guitarra de Coimbra que é diferente da de Lisboa na conceção e afinação”, frisa Lourenço Leitão.

Bisneto, neto e filho de guitarristas de Coimbra, Paredes manteve-se fiel à tradição familiar e continuou o estilo coimbrão, tocando a guitarra de Coimbra. Tendo maioritariamente vivido em Lisboa, a cidade inspirou muitas das suas composições, entre as quais a célebre “Verdes anos”, do filme homónimo de Paulo Rocha.

Além do seu grande reconhecimento em Portugal, como um dos mais virtuosos solistas, o músico percorreu vários palcos europeus. Contudo, em meados da década de 90 deixou de tocar devido à doença que afetava o sistema nervoso central. Em 2004 viria a morrer, vítima dessa mesma doença prolongada.

A primeira edição de “República Paredes” realizou-se a 5 de outubro de 2007, no Estádio Cidade de Coimbra, com a apresentação da ex-deputada comunista Odete Santos.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close