Mundo

Homem salva desconhecida e pede-a em casamento

Um acidente que podia ter acabado em tragédia transformou-se numa história de amor invulgar para dois brasileiros. A química entre a vítima e o seu "salvador" foi tão imediata que, no mesmo dia, este pediu a mulher em casamento.
Versão para impressão
Um acidente que podia ter acabado em tragédia transformou-se numa história de amor invulgar para dois brasileiros. Depois de o carro onde seguia ter capotado e caído de uma ribanceira, Magna Carrijo foi resgatada pelo condutor de um camião e a química foi tão imediata que, no mesmo dia, Nilton Neves, que a salvou, decidiu pedi-la em casamento.
 
Em Outubro passado, Magna Carrijo, de 48 anos, conduzia numa estrada perto de Rondonópolis, no estado brasileiro de Mato Grosso, quando um dos pneus do seu carro saltou e a fez perder o controlo do veículo, embatendo contra uma árvore, capotando e caíndo de uma altura de vários metros. 
 
Nilton Neves, o seu atual companheiro e, à data, um completo desconhecido, seguia atrás com o irmão ao volante de um camião e, ao testemunhar o acidente, imediatamente decidiu parar e socorrer a mulher.
 
“O camião avariou duas vezes e acabou por atrasar a minha viagem em dois dias. Eu achava que aquilo era para me proteger de alguma coisa. Hoje penso que se nada tivesse acontecido com o camião, jamais me iria cruzar com a Magna na estrada”, conta o vendedor de 47 anos em entrevista ao portal de notícias G1, da Globo. 

Momento do salvamento foi “uma coisa inexplicável”
 

Nilton Neves desceu a ribanceira onde o carro se despenhou e constatou que não era possível abrir as portas do veículo, que ficou completamente destruído. Optou, portanto, por partir o pára-brisas. “Ela ainda estava consciente, então pedi-lhe que protegesse o rosto e parti o vidro com um bocado de madeira”, recorda.
 
E, então, tudo mudou. “Foi aí que aconteceu uma coisa inexplicável. Foi como se tivesse aberto um baú do tesouro. Vi uma luz maravilhosa”, partilha o brasileiro, que, após conseguir retirar a vítima que, entretanto perdeu a consciência, de dentro do carro, deu início a uma série de telefonemas para a família de Magna.
 
“Todos os familiares dela estavam muito distantes e não tinham como chegar ao local do acidente. Nesse momento percebi que não conseguiria abandoná-la”, admite Nilton, que, enquanto a atual noiva se manteve desperta, tentou acalmá-la. “Peguei na mão dela e disse: nunca segurei a mão de uma mulher tão bonita. Ela conseguiu olhar para mim e dizer obrigada”, relata.
 
Também Magna, que diz não se lembrar exatamente do momento do acidente mas tem na memória o salvamento, acredita que o encontro não foi obra do acaso. “Senti-me protegida quando ele apareceu. Caí numa ribanceira e o meu medo era ninguém aparecer e eu morrer ali. Quando ele surgiu, vi que era um anjo da guarda na minha vida”, confessa. 
 
O homem acabou por acompanhá-la na viagem de cerca de 80 quilómetros até ao hospital após a chegada da ambulância, manteve-se ao seu lado durante os exames e foi então que, inesperadamente, o pedido de casamento aconteceu.
 
“Estava com ela na sala de exames quando ela se virou para mim e disse que não sabia o que fazer para agradecer o apoio que eu lhe estava a dar. Eu só disse: simples, casa comigo. Na altura ela riu-se e disse que não daria certo, porque eu era camionista, viajante, e ela era muito 'agarrada' nos relacionamentos”, relembra Nilton. 

Casal já está a planear o casamento
 

Após Magna ter tido alta hospitalar, ambos mantiveram contacto por telefone e, ao fim de uma semana, combinaram encontrar-se pessoalmente. “A família dela queria conhecer-me e ela brincava, ao telefone, [a dizer que] eu precisava de ir até Rio Verde [de onde é natural] para oficializar o pedido de casamento. Eu ia viajar a trabalho naquela semana e resolvi ir”.
 

Com uma cesto de chocolates e de roupa nova, Nilton fez-se à estrada. Em casa da família da mulher que salvou e, depois de longas horas de conversa, teve, por fim, direito ao primeiro beijo.

“Até então eu tinha levado aquele pedido de casamento na brincadeira”, assume a noiva.  (Foto © Reprodução G1/Fernanda Testa)
 

“Achava que ele estava a fazer aquilo para me descontrair, porque eu estava com muitas dores, mas quando ele apareceu em minha casa eu percebi que ele estava mesmo interessado em algo sério”, acrescenta em entrevista ao portal brasileiro.
 
Desde então, Magna começou a acompanhar o noivo nas suas viagens de camião. Os dois já vivem juntos e encontram-se, neste momento, a planear o casamento. Apesar de ter sido o “herói” da brasileira, Nilton assegura que foi ela a sua verdadeira salvadora.
 
“Conhecer a Magna foi, para mim, uma segunda oportunidade de viver. Eu estava numa fase difícil e só pensava em morrer. No meio disso tudo ela apareceu. Hoje eu penso que não fui eu que a salvei. Foi ela, naquele acidente, que me salvou”, concluiu.

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close