Cultura

História: A raia da Península Ibérica em documentário

Não, esta raia não é um peixe. A Raia de que falamos é a fronteira entre Portugal e Espanha, estrela de uma ambiciosa série documental de produção própria dividida em seis capítulos e que será emitida já a partir deste domingo no canal História.
Versão para impressão
Não, esta raia não é um peixe. A Raia de que falamos é a fronteira entre Portugal e Espanha, estrela de uma ambiciosa série documental de produção própria dividida em seis capítulos e que será emitida já a partir deste domingo no canal História. A viagem pela linha que separa – ou une – os dois países será contada na primeira pessoa pelo português Pedro Pernas e o espanhol Miguel Ángel Tobías, que 'embarcaram' juntos no desafio de revelar diferenças e semelhanças entre os povos de cada nação ibérica.
 
por Catarina Ferreira
 
Pedro Pernas, ator português com formação musical, e Miguel Ángel Tobías, ator e apresentador de televisão espanhol, não se conheciam mas, tal como as povoações próximas da Raia, aprenderam, ao longo de um mês de viagem, a conviver e a respeitar-se mutuamente, percorrendo de carro mais de 3.000 quilómetros de estrada e de experiências enriquecedoras.
 
Agora, vão partilhar com os espetadores do canal História tudo o que aprenderam com as gentes raianas, desde a história das terras às tradições e lendas, passando pela gastronomia e pela cultura, tudo isto para provar que há muito mais a unir do que a dividir portugueses e espanhóis. 
 
A oportunidade de fazer este documentário surgiu por convite direto do canal, que apresentou aos dois protagonistas uma aventura: a de criar um projeto sobre a fronteira entre Espanha e Portugal, misturando géneros e mostrando dois olhares num só trabalho em que até os viajantes falam, cada um, a sua própria língua, e vivem a sua própria herança cultural.
 
“Era materialmente impossível percorrer cada localidade de um lado e de outro, pelo que optámos por fazer um percurso que fosse o mais representativo possível dos dois países em função das caraterísticas especiais de cada lugar escolhido e, sobretudo, as pessoas, que são, na verdade, o principal eixo deste trabalho”, explica Miguel Ángel Tobías em entrevista ao Boas Notícias.
 
A escolha da raia ibérica como protagonista do documentário foi, portanto, uma escolha fácil e natural, até porque, como declara Pedro Pernas ao Boas Notícias, “o intuito do projeto é precisamente aprofundar a relação entre Portugal e Espanha”.
 
“Nesta série documental é possível constatar que são mais as coisas que unem os portugueses e os espanhóis do que as que os separam. E a raia é o símbolo disso mesmo: separa os dois países politicamente, mas também os une socialmente”, sublinha o português.

De acordo com os dois viajantes é difícil falar no que aproxima ou afasta os habitantes da raia do lado lusitano e do lado espanhol. “Eles são um único povo. Gostam uns dos outros, reconhecem-se, respeitam-se, ajudam-se… são um exemplo claro de como deveriam ser as relações entre todos os habitantes dos dois países em particular e entre todos os habitantes do mundo em geral”, ilustra Tobías.
 
O apresentador televisivo espanhol defende, inclusive, que “as fronteiras políticas são absurdas e o mais claro exemplo do muito que nos falta evoluir como espécie”. “Tenho a certeza de que dentro de uns séculos, os seres humanos que nos sucedam vão envergonhar-se de nós por não nos reconhecermos já como uma só raça”, acrescenta ainda.
 
A mesma opinião é partilhada por Pedro Pernas, que também considera que os raianos são um bom exemplo de que a separação entre povos é pouco mais do uma linha traçada no mapa.

“Tirando o facto de a língua ser um pouco diferente e de um ou outro hábito alimentar, [os habitantes da raia] são tão próximos e a convivência comum tão presente, tão viva, tão respeitada mutuamente, que fazem a fronteira desaparecer”, assegura ao Boas Notícias.

Viagem trouxe aprendizagem a todos os níveis
 

Ao longo do seu percurso, Miguel Ángel Tobías e Pedro Pernas confessam ter desfrutado de uma ampla aprendizagem a todos os níveis. “Não consigo destacar um momento porque foi a soma total de todos os momentos vividos que fez com que esta aventura fosse marcante e surpreendente na minha vida”, admite o português, que diz esperar “que os espetadores desfrutem da série tanto como” os dois desfrutaram da viagem.
 
Uma viagem que foi, aliás, para Tobías, uma espécie de “viagem de iniciação”. “Foi uma viagem vital que me transformou como pessoa e reafirmou o que já expressei muitas vezes: o absurdo das guerras, das fronteiras, e, como, no final, o ser humano, na sua relação com os semelhantes, se impõe sobre as ideologias e as desavenças políticas”, frisa.

Documentário vai desfazer preconceitos entre os povos
 

Mas, afinal, o que poderão os espetadores aprender com este documentário e retirar de cada capítulo? Pedro Pernas não hesita na resposta. “[Vão aprender que], afinal, a expressão, 'De Espanha, nem bons ventos nem bons casamentos' é datada e está completamente ultrapassada”, garante, acrescentando que ganharão também “um exemplo para uma melhor relação entre toda a comunidade mundial”.
 
“Eu espero que os espetadores sejam capazes de admirar a riqueza cultural, histórica, monumental, gastronómica e emocional dos locais e cidades de um e de outro lado da Raia e que sintam a necessidade de fazer, eles mesmos, essa viagem que nós fizemos”, afirma Tobías, que promete, no futuro, percorrer também os espaços que não entraram neste documentário “mas que também merecem ser visitados”.
 
“Vou fazê-lo, seja com uma câmara de filmar ou pelo prazer de desfrutar e de continuar a aprender com uma Raia que não tem fim”, conclui o espanhol, que adianta, porém, que, para já, “o mais importante é que tanto portugueses como espanhóis desfrutem da série e sejam capazes de viver e sentir o que nós sentimos”.
 
Embora já haja novas ideias em mente semelhantes à deste documentário, tanto da parte dos aventureiros, como do Canal História, estas “ainda são só ideias”, alerta Pedro Pernas. Portanto, cada um dos viajantes deverá agora dedicar-se, temporariamente, aos seus próprios projetos.
 
O português vai focar-se no teatro, estando em cena, até 1 de junho, no musical Zorro, no Teatro Tivoli, no Porto, ao passo que o espanhol irá terminar a montagem de um documentário sobre a violação dos Direitos Humanos no Sahara, intitulado “GURBA – La Condena” e continuar a trabalhar num projeto internacional de produção e direção de um documentário sobre a fome no mundo.
 
A série documental A Raia estreia, este domingo, 10 de março, no Canal História, pelas 23h35. A viagem terá início com o capítulo “Unidos Pelo Minho”, que dará conta de uma passagem por Tui e Valença.

Clique AQUI para saber mais sobre todos os episódios deste documentário.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close