Saúde

Hipertensão: Cientistas criam solução “revolucionária”

Um grupo de investigadores britânicos acaba de testar um dispositivo que acredita ser "revolucionário" no tratamento da hipertensão arterial. A novidade provou ser mais eficaz do que as terapias habituais.
Versão para impressão
Um grupo de investigadores britânicos acaba de testar um dispositivo que acredita ser “revolucionário” no tratamento da hipertensão arterial. A novidade destina-se a pacientes com pressão arterial descontrolada e provou ser mais eficaz do que as terapias habituais com medicamentos num estudo desenvolvido pela Queen Mary University of London, no Reino Unido.
 
O dispositivo, denominado “Coupler” e criado pela empresa ROX Medical, é um implante do tamanho de um 'clip' de papel concebido para ser colocado entre uma artéria e uma veia da coxa através de um procedimento cirúrgico simples que dura apenas 40 minutos e só exige anestesia local.
 
Cientistas ingleses testaram a eficácia do equipamento e compararam-na com a das terapias convencionais em 83 pacientes com hipertensão arterial resistente e que não responderam, no mínimo, a três tipos diferentes de fármacos destinados a tratar o problema. Destes, 44 receberam o dispositivo e os restantes continuaram o tratamento habitual. 
 
De acordo com um estudo publicado recentemente na revista científica The Lancet, aqueles em quem o “Coupler” foi implantado experienciaram uma redução significativa e duradoura na hipertensão arterial, apresentando, também, um menor número de complicações relacionadas com este problema de saúde e dirigindo-se menos vezes às urgências hospitalares devido a crises.

Implantação do equipamento produz resultados imediatos
 

“Este é um conceito inteiramente novo e altamente promissor ao nível do tratamento da hipertensão arterial. Os fármacos atuais focam-se na regulação hormonal ou neurológica da pressão arterial e os novos tratamentos centram-se unicamente no sistema nervoso renal”, explica, em comunicado, Melvin Lobo, principal autor do estudo.
 
Segundo o investigador da Queen Mary University of London, “o 'Coupler' é capaz de trabalhar, com eficiência, ao nível dos aspetos mecânicos da circulação sanguínea, pelo que é uma abordagem totalmente nova no que toca ao controlo da pressão arterial”.
 
Além disso, acrescenta Lobo, “assim que é colocado, o equipamento produz resultados imediatos, um facto que também é exclusivo deste tratamento”, já que os efeitos das terapias convencionais demoram a fazer-se sentir. 
 
Embora possa vir a constituir-se como uma “opção alternativa para o futuro tratamento da hipertensão, em particular quando os tratamentos padrão falham”, a implantação do dispositivo desencadeou um efeito secundário desagradável em parte dos voluntários: um inchaço na perna, que foi solucionado através da colocação de um 'stent' na veia.
 
“Ainda é cedo para dar início à aplicação destas descobertas na rotina clínica. Será necessária uma investigação mais ampla para explorar os efeitos do 'Coupler' a longo-prazo, para melhor compreender a sua segurança e para entender mais sobre a forma como funciona no interior do organismo”, alerta Lobo

O investigador assegura, porém, que este “é um grande passo em frente na procura de um tratamento alternativo” para a hipertensão arterial, uma doença “muito perigosa” e que pode desencadear, entre outros, acidentes vasculares cerebrais e ataques cardíacos.

Clique AQUI para aceder ao estudo publicado na The Lancet (em inglês).

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close