Saúde

Hemofilia: centros especializados são hipótese

O Ministério da Saúde estará a estudar uma proposta que prevê a abertura de três centros especializados no tratamento da hemofilia e de outras doenças raras da coagulação sanguínea. A ideia é que as infraestruturas possam servir as populações já no p
Versão para impressão
O Ministério da Saúde estará a estudar uma proposta que prevê a abertura de três centros especializados no tratamento da hemofilia e de outras doenças raras da coagulação sanguínea. A ideia é que as infraestruturas possam servir as populações já no próximo ano.

O presidente do Consórcio Europeu de Hemofilia (ECH, na sigla original) encontra-se em Portugal para a conferência que se realiza em Lisboa sobre o tema, esta semana, e alertou para a necessidade de centralizar os cuidados de saúde para estas patologias.

“Portugal está atrás do resto da Europa, quando um centro especializado pode reduzir para metade as hospitalizações. A ideia é que o doente tenha aconselhamento telefónico 24 horas por dia e que vá ao centro uma a duas vezes por ano, podendo ser acompanhado seguindo um protocolo no hospital mais próximo”, declarou Ad Veldhuizen ao jornal Público.

Além disso, a implantação destes centros em Portugal – cuja data de arranque e local de instalação não foram ainda confirmados pelo Ministério da Saúde – poderia reduzir os custos com os medicamentos.

Veldhuizen assegura que com profilaxia um doente “pode levar uma vida quase normal” e “ganhar muito em qualidade”. A mesma posição é reiterada por Brian O´Mahony, presidente da Associação Irlandesa de Hemofilia: “O que não queremos é ir para um hospital que vê dois doentes destes por ano e que não sabe como nos tratar”, disse ao Público.

A hemofilia é uma doença crónica e uma deficiência orgânica congénita no processo da coagulação do sangue. De transmissão genética, aparece quase exclusivamente nos indivíduos do sexo masculino e caracteriza-se pela ausência ou acentuada carência de um dos fatores da coagulação.

Por este motivo, a coagulação é mais demorada ou inexistente, provocando hemorragias frequentes, especialmente a nível articular e muscular.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close