Mundo

Há uma empresa onde 80% dos funcionários são autistas

Nos EUA, a taxa de desemprego dos adultos autistas ronda os 90%. Mas, como para toda a regra existe uma exceção, há uma empresa naquele país onde a quase totalidade dos funcionários tem autismo e que está a inspirar outros negócios.
Versão para impressão
Nos EUA, a taxa de desemprego dos adultos autistas ronda os 90%. Mas, como para toda a regra existe uma exceção, há uma empresa naquele país onde a quase totalidade dos funcionários tem autismo e que está a inspirar outros negócios a investir no seu potencial pessoal e profissional.
 
A “Rising Tide”, empresa de lavagem de automóveis, nasceu pela mão de Tom D'Eri e de um dos seus filhos, John D'Eri, com o objetivo de dar ao mais novo dos descendentes, Andrew, um jovem de 22 anos com autismo, uma oportunidade de trabalhar e de construir uma vida de realizações.
 
O negócio inaugurou na Flórida em 2013 e, atualmente, emprega 35 homens autistas. Ao todo, cerca de 80% da equipa da “Rising Tide” é composta por trabalhadores englobados no espetro autista que são responsáveis pela lavagem dos carros e que abraçam com entusiasmo as suas funções diárias.
 
De acordo com uma entrevista exclusiva dada por Tom D'Eri à plataforma norte-americana NationSwell, a ideia para o tipo de empresa em que deveriam investir aconteceu, precisamente, enquanto lavavam o carro numa estação de serviço. 
 
Isto porque, esclarece o empresário, por se tratar de um processo detalhado e repetitivo, a lavagem dos automóveis é uma tarefa apreciada pelas pessoas com autismo. Ao mesmo tempo, por ser um serviço prestado através de contacto direto com a população, permite aos cidadãos – e a possíveis empregadores – “testemunhar o valor dos funcionários”. 
 
“É um serviço muito palpável. As pessoas deixam o carro para lavar e quando voltam percebem se está lavado ou não. Assim, vão ver que eles fizeram um bom trabalho – e que o autismo não impediu isso”, explica D'Eri. 
 
Embora admita que a empresa tem uma missão altruísta, a família D'Eri afirma que é importante pensar nos indivíduos com autismo como “fontes de recursos por explorar” e não como um grupo de pessoas com limitações.
 
O negócio tem sido um sucesso e, até 2016, a “Rising Tide” espera abrir três novas ramificações, contribuindo para aumentar a confiança e a inclusão social desta parcela da comunidade.
 

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close