Saúde

Gravidez tem “efeito rejuvesnecedor” nas mulheres

Afinal, o "brilho" das futuras mamãs não é apenas parte do imaginário popular e pode, até, ser explicado cientificamente: a gravidez tem um "efeito rejuvenescedor" nas mulheres e contribui para atrasar o processo de envelhecimento.
Versão para impressão
Afinal, o “brilho” das futuras mamãs não é apenas parte do imaginário popular e pode, até, ser explicado cientificamente: a gravidez tem um “efeito rejuvenescedor” nas mulheres e contribui para atrasar o processo de envelhecimento, funcionando como uma espécie de elixir da juventude.
 
A conclusão é de um estudo realizado por um grupo de investigadores israelitas cujas conclusões foram publicadas, em Março, na revista científica Fertility and Steritily e que prova que o que faz “brilhar” as mulheres durante a gestação é um processo fisiológico associado à partilha de sangue entre a mãe e o bebé.
 
Os cientistas da Faculdade de Medicina de Hadassah, em Jerusalém, estudaram os efeitos de transplantes de fígado em fêmeas de rato, algumas delas grávidas e outras não, com recurso a técnicas avançadas de ressonância magnética.
 
A equipa descobriu que nas fêmeas jovens e que não estavam grávidas, 82% do fígado se regenerou dois dias após a cirurgia e que, nas mais velhas, que também não estavam grávidas, apenas 46% daquele órgão se tinha regenerado no mesmo período de tempo.
 
No entanto, os resultados mais surpreendentes foram obtidos com as fêmeas grávidas: entre estes animais, independentemente da idade, 96% do fígado estava regenerado após dois dias. Além disso, a gravidez protegeu também as fêmeas mais velhas de danos nos tecidos cardiovasculares que, em humanos, são uma parte inevitável do envelhecimento.
 
De acordo com os cientistas, a gravidez é uma “condição única” para o corpo humano, obrigando a que este tenha de gerir os sistemas de dois seres ao mesmo tempo. Para o organismo de mais idade, a experiência é como “uma injeção de um elixir de juventude”, o que explica o processo de rejuvenescimento de que beneficiam as mães.
 
“À medida que envelhecemos, a regeneração torna-se mais difícil para os tecidos. Visto que a gravidez é um modelo biológico único de partilha parcial do sistema circulatório, acreditamos que a gravidez possa ter um efeito rejuvenescedor nas progenitoras”, afirma a equipa, coordenada por Tal Falick Michaeli. 
 
O estudo demonstrou, no entanto, que os efeitos positivos da gravidez no organismo são “transitórios”, mantendo-se apenas por cerca de dois meses após o parto.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close