Inovação e Tecnologia

Google vai digitalizar arquivos de Nelson Mandela

A Google doou 1,25 milhões de dólares, cerca de 900 mil euros, ao Centro de Memória da Fundação Nelson Mandela para que se proceda à digitalização e conservação dos documentos de arquivo, fotografias e materiais audiovisuais que documentam a vida e c
Versão para impressão
A Google doou 1,25 milhões de dólares, cerca de 900 mil euros, ao Centro de Memória da Fundação Nelson Mandela para que se proceda à digitalização e conservação dos documentos de arquivo, fotografias e materiais audiovisuais que documentam a vida e carreira do líder sul-africano.

O objetivo é tornar disponíveis na internet centenas de documentos nunca antes vistos sobre Mandela e de forma gratuita, conforme realçou à AFP Achmat Dangor, Chefe Executivo da Fundação Mandela.  

Do espólio que será disponibilizado na internet contam-se os diários de Mandela enquanto esteve preso, cartas privadas e notas feitas em reuniões por ele presididas.

A Fundação está ainda a negociar com governos estrangeiros e outras instituições para que disponibilizem outros documentos importantes da vida de Mandela.

Nelson Mandela encontra-se a recuperar de uma hospitalização em janeiro último. O herói anti-apartheid tornou-se no primeiro presidente negro da África do Sul entre 1994 e 1999. Retirou-se da vida pública em 2004.

Os seus arquivos já estão a ser digitalizados para a alegria de muitos que o admiram, e estará concluído numa questão de meses.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close