Inovação e Tecnologia

Google celebra fecho éclair

Talvez poucos conheçam o nome do sueco Gideon Sundback, mas o nosso dia a dia não seria o mesmo sem uma das suas principais invenções. O fecho éclair está hoje em grande destaque no doodle do Google, como forma de assinalar o 132º aniversário do seu
Versão para impressão
Talvez poucos conheçam o nome do sueco Gideon Sundback, mas o nosso dia a dia não seria o mesmo sem uma das suas principais invenções. O fecho éclair está hoje em grande destaque no doodle do Google, como forma de assinalar o 132º aniversário do seu criador.

 
O Google decidiu homenagear Gideon Sundback colocando na sua página principal um grande fecho interativo que pode ser puxado, revelando as páginas que remetem para informação sobre o fecho éclair e o seu criador.
 
O engenheiro – que apesar de ter nascido na cidade de Sonarp, na Suécia, naturalizou-se mais tarde como norte-americano – nasceu no dia 24 de Abril de 1880. Depois de emigrar para os EUA, Sundback foi contratado por uma empresa da Pensilvânia, em 1905, e um ano mais tarde mudou-se para a Companhia Universal Fastener, em Nova Jérsia, onde acaba por casar com a filha do gerente, Elvira Sundback Aronson.
 
O engenheiro dedicou vários anos ao desenvolvimento do fecho, acabando por patenteá-lo em 1917, ou seja, há quase um século. Apesar de ter quase 100 anos, esta invenção continua atual e muito útil no dia a dia, tornando roupas e acessórios mais fáceis de usar. O fecho de Sundback corre mesmo o risco de se tornar eterno, tal a sua utilidade em várias aplicações.

A invenção ganhou destaque particular durante a II Guerra Mundial e valeu ao seu criador a Medalha de Ouro da Academia Real Sueca de Ciências de Engenharia, em 1951. Sundback acabaria por falecer com complicações cardíacas em 1954, na Pensilvânia.

 
Hoje, a história de Sundback chega a milhões de pessoas através do motor de busca mais utilizado do mundo. É caso para usar o famoso slogan de uma certa marca portuguesa: Podíamos viver sem o fecho éclair? Podíamos, mas não era a mesma coisa”.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close