Cultura

Goa: Soprano portuguesa em destaque em festival indiano

A soprano Lourdes Martins vai estar em destaque no Festival de Música do Monte, em Goa, na Índia. Aquela que é a 12ª edição do evento tem início esta sexta-feira, prolongando-se até domingo, na Capela da Nossa Senhora do Monte.
Versão para impressão
A soprano Lourdes Martins vai estar em destaque no Festival de Música do Monte, em Goa, na Índia. Aquela que é a 12ª edição do evento tem início esta sexta-feira, prolongando-se até domingo, na Capela da Nossa Senhora do Monte. 
 
“Nascida em Itália, com formação brasileira e antepassados goeses”, a portuguesa faz parte do coro do teatro da ópera de Turim e tem vindo a colaborar com o La Scala, de Milão. Agora, a artista vai estar em destaque no evento anual, indo atuar acompanhada por uma orquestra de câmara (Child's Play), conduzida pelo maestro argentino Santiago Lusardi Girelli.
 
“Estamos à espera que seja um momento alto”, afirma o delegado da Fundação Oriente, Eduardo Kol de Carvalho, à Lusa. “Estão reunidas todas as condições para um bom espetáculo”. 
 
De maneira a “tirar partido” do pôr-do-sol, o Festival de Música do Monte arranca às seis da tarde locais, no exterior da capela, erguida num “lugar paradisíaco, com uma vista soberba sobre a antiga cidade de Goa, onde ainda se podem ver os vestígios da presença portuguesa arquitetónica de então”. 
 
“Além de ser uma manifestação cultural a que os goeses e estrangeiros já se habituaram, o festival foi criado no sentido e com o objetivo de preservar minimamente em boas condições a capela”, afirma o responsável, segundo o qual o evento “obriga as autoridades a voltar a pintar e a limpar toda a área e a restabelecer um pouco aquilo que eram as condições primitivas após a recuperação do edifício”.
 
Durante três dias, o festival oferece essencialmente música e dança oriunda da Europa e da Índia. “Devia ser também de outras partes da Ásia, mas até hoje não conseguimos cumprir esse objetivo para que seja um encontro entre a música do oriente e do ocidente”, reconheceu.
 
Para já, o público resulta de “um pouco de tudo”, havendo muitos estrangeiros – que não são turistas ocasionais mas antes pessoas que residem em Goa por uma determinada temporada -, também indianos e, claro, os goeses, a maioria católicos, face à “grande tradição de música erudita”.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close