Sociedade

Fundação: Hortas solidárias beneficiam 1500 pessoas

Cerca de 1.500 pessoas em todo o país deixaram de ter despesa com produtos hortícolas, assegurando as suas necessidades alimentares numa rede de "hortas sociais" promovida pela EDP, anunciou ontem a empresa.
Versão para impressão

Cerca de 1.500 pessoas em todo o país deixaram de ter despesa com produtos hortícolas, assegurando as suas necessidades alimentares numa rede de “hortas sociais” promovida pela EDP, anunciou ontem a empresa. Entre os beneficiados encontram-se dezenas de famílias e instituições de solidariedade portuguesas.

O projeto, inserido na iniciativa EDP Solidária Barragens, garantiu, em menos de um ano, a autossuficiência em hortícolas a “oito instituições e 60 famílias em sete distritos, que representam 1.500 beneficiários diretos”, adiantou a empresa.

“Isso significa tanto como dar subsídio ou apoio”, afirmou à Lusa Sérgio Figueiredo, da Fundação EDP, responsável pelos projetos sociais financiados pela elétrica nacional, nomeadamente em zonas onde está a realizar investimentos em barragens.

As “hortas solidárias” começaram a ser distribuídas em 2011, através de parcerias com entidades locais, nomeadamente para a disponibilização das terras, e envolveu, na fase inicial, 10 instituições responsáveis pela gestão de 13 hortas.

Projeto poderá ser alargado até mais 30 hortas

O projeto acaba de ser estendido a mais três instituições e, ainda durante este ano, a EDP estima que a rede seja alargada até 30 hortas.

Sérgio Figueiredo explica que o projeto pretende “permitir alguma sustentabilidade financeira, poupando e cortando nos gastos, e transformar pessoas que estão em risco de exclusão em pessoas produtivas à sociedade”. Como resultado, os “cultivadores” destas hortas deixaram de ter despesa na compra de alimentos verdes.

Algumas das instituições aderentes prestam apoio a pessoas com necessidades especiais específicas, enquanto outras estão ligadas ao setor agrícola e produzem para distribuir pela rede social local. Os utentes e beneficiários participam também no cultivo destes espaços.

As hortas distribuem-se por Braga, Mirandela, Valadares, Vila Velha de Ródão, Matosinhos, Coimbra, Faro, Loulé, São Brás de Alportel, Lisboa, Santarém, Sintra, Aveiro e Ericeira.

A EDP dá apoio logístico e financeiro que, nos projetos lançados em 2011, rondou valores entre os mil e os 27 mil euros.

A empresa recebeu já propostas para novas hortas que estão a ser analisadas e prevê que “ainda no primeiro semestre serão conhecidos os resultados”.

[Notícia sugerida por Sofia Baptista, Diana Rodrigues e Elsa Martins]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close