Saúde

Frutos vermelhos protegem contra doença de Parkinson

As pessoas que consomem alimentos ricos em flavonóides - sobretudo frutos vermelhos - correm menos risco de vir a desenvolver a doença Parkinson, revela um novo estudo.
Versão para impressão

As pessoas que consomem alimentos ricos em flavonóides – sobretudo frutos vermelhos – correm menos risco de vir a desenvolver a doença Parkinson, revela um novo estudo realizado pela Universidade de Harvard e pela Universidade de East Anglia, que foi publicado na revista “Neurology”.

Este estudo vem reforçar a evidência dos benefícios dos flavonóides – existentes por exemplo em frutos vermelhos, citrinos, vinho tinto, maçãs – para a saúde humana. Estudos anteriores já tinham revelado que o consumo deste tipo de compostos oferece uma maior proteção contra várias doenças incluindo as cardiovasculares, hipertensão, alguns tipos de cancro e demência.

Nesta investigação, a equipa da Harvard University e da University of East Anglia contou com a participação de 130.000 indivíduos, dos quais 800 desenvolveram doença de Parkinson durante os vinte anos do período de acompanhamento.

Após os investigadores terem analisado as suas dietas e ajustado a idade e os seus estilos de vida, verificaram que os participantes do sexo masculino que consumiam mais flavonóides apresentavam um risco 40% menor de desenvolver doença de Parkinson do que aqueles que consumiam menores quantidades destes compostos.

A associação entre o consumo destes alimentos e o risco de desenvolver a doença não foi tão significativa para as mulheres. No entanto, na análise dos efeitos de uma sub-classe dos flavóides conhecidas por antocianinas – existentes sobretudo nos frutos vermelhos – os efeitos foram relevantes para ambos os sexos.

O estudo revelou que os participantes – masculinos e femininos – que consumiam mais de uma porção de frutos silvestres, por semana, tinham um risco 25% menor de desenvolver doença de Parkinson, em comparação com os que não ingeriam este tipo de frutos.

“Tendo em conta os outros potenciais efeitos para a saúde dos frutos silvestres, tais como a diminuição do risco de hipertensão, conforme constatado em estudos anteriores, é aconselhável a introdução destes frutos na dieta”, aconselhou o investigador.

“Este estudo levanta muitas questões interessantes sobre o modo como a dieta pode influenciar o risco de desenvolvimento da doença de Parkinson”, defendeu o diretor do Parkinson’s UK, Kieran Breen.

 Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close