Saúde

Frutos secos previnem cancro e outras doenças

A ingestão diária de frutos secos pode reduzir o risco de morte precoce ao contribuir para prevenir o desenvolvimento de cancro, diabetes ou doenças cardíacas e respiratórias.
Versão para impressão
A ingestão diária de frutos secos pode reduzir o risco de morte precoce ao contribuir para prevenir o desenvolvimento de cancro, diabetes ou doenças cardíacas e respiratórias. A conclusão é de um novo estudo holandês, que revela que os amendoins e as nozes podem esconder o segredo para uma vida mais longa e saudável.
 
A investigação, da responsabilidade de uma equipa da Universidade de Maastricht, na Holanda, e cujos resultados foram publicados, a semana passada, na revista científica Journal of Epidemiology, sugere uma associação entre o consumo regular de amendoins e nozes e um menor risco de morte por múltiplas doenças.
 
Para chegar a esta associação, os cientistas analisaram dados do censo “Netherlands Cohort Study”, que, desde 1986, avaliou o consumo (em porção e frequência) de amendoins e outros frutos secos (nozes) e de manteiga de amendoim por parte de mais de 120.000 homens e mulheres holandeses com idades entre os 55 e os 69 anos. 
 
De acordo com o estudo, os homens e mulheres que comiam, no mínimo, 10 gramas de nozes ou amendoins por dia apresentavam um risco inferior de vir a morrer precocemente do que os restantes. O maior potencial de prevenção observou-se, indica a investigação, ao nível das doenças respiratórias e neurodegenerativas, seguindo-se-lhes o cancro e as doenças cardiovasculares.
 
Segundo os especialistas, coordenados por Piet van den Brandt, professor da universidade holandesa, os benefícios dos frutos secos são amplos e iguais em homens e mulheres. “É assinalável que se tenha constatado uma queda substancial no risco de mortalidade só com o consumo de aproximadamente 15 gramas de amendoins e nozes por dia (metade de uma mão cheia)”, destaca, em comunicado, o investigador.
 
No entender de Brandt e dos colegas, os benefícios dos frutos secos para a saúde podem dever-se ao facto de estes serem ricos em compostos como os ácidos gordos monoinsaturados e poliinsaturados, vitaminas, fibras, antioxidantes “que, possivelmente, contribuem para uma menor taxa de mortalidade”.
 
De realçar que, ao contrário do que aconteceu com os amendoins, “não se observou qualquer associação entre o consumo de manteiga de amendoim e o risco de mortalidade”, até porque esta “contém ingredientes adicionados como o sal e os óleos vegetais” que inibem um possível efeito protetor.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês). 

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close