Sociedade

Fruta Feia contra o desperdício alimentar

O projeto Fruta Feia quer começar, já em Setembro, a resgatar do lixo a fruta que não entra no mercado para combater o desperdício e promover uma economia mais sustentável.
Versão para impressão
Cerca de 30 por cento da fruta produzida em Portugal e no resto da Europa vai para o lixo. É fruta própria para consumo mas que esteticamente não cumpre as normas do mercado. O projeto Fruta Feia quer começar, já em Setembro, a resgatar esta fruta (e vegetais), para combater o desperdício e promover uma economia mais sustentável.

por Patrícia Maia
 
Podem ser deliciosos mas vão parar ao lixo só porque são pequenos ou grandes demais, porque têm uma forma estranha ou manchas e pintas na casca. Isabel Soares, uma das mentoras do projeto Fruta Feia, explica ao Boas Notícias que “esta fruta vai para o lixo, ou simplesmente não é colhida dos campos, sendo que alguma vai para o gado”. 

É verdade que “a Indústria dos sumos e compotas compra alguma fruta feia mas a um preço que torna este negócio economicamente inviável para os agricultores, já que o preço pago pelo quilo não cobre o custo de produção”, acrescenta. 

Na Europa, o desperdício de produtos hortofrutícolas próprios para consumo ronda os 30 por cento. Em Portugal, um milhão de toneladas de alimentos por ano, ou seja, 17% do que é produzido, vai para o lixo (segundo o relatório do PERDA apresentado em Dezembro de 2012). Além da questão alimentar, este é também um problema ambiental e económico uma vez que a produção destes alimentos envolve gastos em terrenos, energia e água. 

 
Primeiros cabazes planeados para Setembro


Este desperdício tem os dias contados em Portugal, graças ao projeto Fruta Feia. E é já em Setembro que a futura Cooperativa dos Anjos pretende por à venda, uma vez por semana, os primeiros cabazes de fruta feia, num espaço cedido pela Casa Independente, no largo do Intendente, em Lisboa. 
 
A responsável adianta que o projeto Fruta Feia tem já “cinco agricultores da região de Lisboa e Vale do Tejo interessados em trabalhar com o projeto, fornecendo semanalmente frutas e hortaliças formalmente desadequadas à Cooperativa-piloto dos Anjos”.
 
Para minimizar os custos ambientais e económicos, a cooperativa pretende ir buscar os seus produtos a agricultores locais. “A ideia é que todos juntos consigam fornecer produtos fruto-hortícolas capazes de compor uma cesta variada e da época que assegure o consumo semanal dos nossos sócios em termos de fruta e verduras”, sublinha Isabel.

Quanto ao preço, a Fruta Feia ainda não definiu o valor dos cabazes “para não correr o risco de não cumprir posteriormente as expectativas” mas Isabel adianta que será um preço fixo por quilo que será multiplicado pelos vários tamanhos disponíveis das cestas: pequena (3Kg), média (5Kg) ou grande (7,5Kg).
 

O projeto-piloto Fruta Feia arranca em Lisboa, contudo o objetivo é estender a iniciativa ao resto do país, através de dinamizadores locais que assegurem a recolha e o transporte dos produtos. Uma plataforma online vai permitir que esta rede cresça, facilitando a inscrição de agricultores e consumidores no projeto.

 
“Adessão impressionante”
 
Embora a venda dos cabazes ainda não tenha arrancado, Isabel Soares salienta que a “adesão ao projeto tem sido impressionante, com mais de uma centena de pessoas interessadas em tornar-se sócias da Cooperativa”.

Para ser sócio, bastará fazer a inscrição na cooperativa pagando uma quota anual de cinco euros, e assumindo um consumo mínimo (que ainda vai ser definido) de cabazes por mês. Enquanto a cooperativa não está formalizada, é possível fazer uma pré-inscrição no projeto através do email frutafeia@gmail.com. 
 

A Fruta Feia é um projeto de Isabel Soares, Inês Ribeiro, Francisco Gonçalves e Sara Silva Santos e foi um dos três vencedores do concurso Ideias de Origem Portuguesa, promovido pela Gulbenkian, onde recebeu um prémio de 15 mil euros, mas faltam ainda 6 mil euros para dar arrancar com a iniciativa, um valor que o grupo pretende angariar através de 'crowdfunding'.

Numa altura em que o Parlamento Europeu pretende declarar 2014 o Ano Contra o Desperdício Alimentar, a Fruta Feia oferece uma forma pioneira de combater um problema global. Em todo o mundo, de acordo com a Food and Agriculture Organization (FAO), são desperdiçados, anualmente, 1,3 mil milhões de toneladas, um valor que seria suficiente para alimentar os 925 milhões de pessoas que todos os dias passam fome. 

Clique AQUI para visitar o Facebook oficial da Fruta Feia.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close