i9magazine

Falta de procura ou excesso de stock são os principais riscos para as PME portuguesas

Versão para impressão

Espanha com 42%, Suíça com 39%, Áustria com 38% e Itália com 36%, também enumeraram estes fatores como principal fonte de preocupação.

O elevado nível de concorrência ou os preços de dumping com impacto nas margens de venda é a segunda maior preocupação apontada pelos empresários portugueses, apesar de ter registado uma descida de seis por cento nos últimos quatro anos.

De acordo com este estudo, os empresários portugueses estão cada vez mais preocupados com danos na reputação (17%) e, também, com os incêndios (8%).

A análise destaca que os riscos que mais cresceram para o negócio mundial das PME foram o cibercrime na Europa, os danos no transporte nos Estados Unidos da América, o dano na reputação na Ásia-Pacífico e as catástrofes naturais na América Latina.

O Diretor de Marketing e Comunicação da Zurich Portugal, Artur Lucas, sublinha que “este estudo permite-nos sensibilizar os empresários para a importância da gestão de risco, uma vez que a existência de um planeamento adequado permite identificar os principais riscos e formas de mitigá-los”.

Redução de custos e despesas é principal oportunidade para as PME

Quando inquiridos sobre as oportunidades de negócio, 41,5% das PME nacionais considera crucial a redução de custos e despesas, o que corresponde a um aumento de nove por cento nos últimos quatro anos. A aposta em novos segmentos de clientes também foi enumerada como uma importante oportunidade para 36% dos empresários portugueses. Já a necessidade de condições de crédito atrativas aumentou oito por cento entre as PME nos últimos quatro anos.

Cinco e meio por cento das PME mostra-se ainda mais pessimista uma vez que não deteta oportunidades a curto prazo. Por sua vez, a expansão para mercados estrangeiros desceu de 16% para 11% nos últimos quatro anos.

Quando questionados sobre a possibilidade de crescimento do negócio através da aquisição de concorrentes, apenas 5,5% das PME portuguesas considera este fator como uma oportunidade.

O estudo “Zurich PME: Riscos e Oportunidades” foi conduzido pela GFK junto de pequenas e médias empresas em oito países – Portugal, Áustria, Alemanha, Irlanda, Itália, Espanha, Suíça e Turquia. Em Portugal foram inquiridas 200 empresas, através da realização de entrevistas telefónicas a CEO, Diretores Gerais, Diretores Financeiros e Diretores de Operações.

Pode consultar o estudo aqui.

O conteúdo Falta de procura ou excesso de stock são os principais riscos para as PME portuguesas aparece primeiro em i9 magazine.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close