Ambiente

Expedição vai procurar novas espécies no Índico

NULL
Versão para impressão

O fundo do mar continua repleto de segredos para os humanos e há zonas que são mais desconhecidas do que a superfície da Lua. Alguns dos melhores Investigadores do mundo, empenhados em perceber um pouco mais do que se passa “lá em baixo”, partiram esta terça-feira numa expedição pelo Índico cujo objetivo é explorar as montanhas marinhas em busca de novas espécies. Pretendem também estudar o impacto da pesca humana.

O navio RRS James Cook partiu de Cape Town, na África do Sul, e vai viajar durante seis semanas pela zona sudoeste do Oceano Índico. Os exploradores são da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) e querem estudar os 'habitats' das montanhas marinhas que possuem uma enorme riqueza e diversidade de vida devido às correntes que as intersetam.

“As montanhas marinhas erguem-se até uma altitude de mil metros a partir do fundo do mar”, explica Aurélie Spadone, membro da expedição, em comunicado. “Devido à sua interação com as correntes subaquáticas, a biodiversidade que se desenvolve nestes locais é extremamente rica. Atrai uma grande diversidade de espécies e atua como um género de 'cama e pequeno-almoço' para os predadores das profundezas do mar, como tubarões”.

No entanto, as atividades humanas estão a ameaçar toda esta diversidade, especialmente a pesca. “A pesca de profundidade inferior, incluindo a pesca de arrastão, pode danificar os habitats destes locais e as populações de peixes. Pode também causar danos irreversíveis nos corais, esponjas e outros animais”, explicou Aurélie Spadone.

Preocupados com esta realidade, os explorados pretendem analisar os impactos sobre estes locais. Esta não é a primeira vez que esta equipa investiga as montanhas marinhas. Em 2009, uma outra expedição trouxe informações importantes sobre a vida marinha, assim como descobriu uma grande e valiosa coleção de novas espécies nunca antes vistas.

“Esperamos que a expedição nos ajude a ter uma melhor compreensão da vida marinha e um maior acesso às ameaças que ela enfrenta. Talvez tenhamos sorte suficiente para descobrir algumas novas espécies a viver nestas desconhecidas águas”, diz Alex Rogers, da Universidade de Oxford, também a bordo.

Ambas as expedições fazem parte do Seamounts Project, da IUCN, da Global Environment Facility, colaboradora com o Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas, e do UK Natural Environment Research Council.

Toda a viagem pode ser seguida no blog da equipa. Clique AQUI para aceder.

Clique AQUI para ver imagens de algumas das estranhas espécies encontradas na última expedição.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close