Saúde

Exercício físico reduz risco de hipertensão arterial

Fazer exercício físico durante mais de quatro horas por semana reduz o risco de hipertensão arterial em cerca de 20%. A conclusão é de um novo estudo publicado na revista científica Hypertension, da American Heart Association (AHA).
Versão para impressão
Fazer exercício físico durante mais de quatro horas por semana reduz o risco de hipertensão arterial em cerca de 20%. A conclusão é de um novo estudo publicado na revista científica Hypertension, da American Heart Association (AHA), que revela que, quando mais frequente for a prática de atividade física com fins recreacionais, mais protegido estará o organismo.
 
De acordo com a investigação, que se baseou nos resultados de 13 estudos acerca dos efeitos da atividade física na circulação sanguínea e na pressão arterial, aqueles que praticam entre uma a três horas de exercício semanal têm, igualmente, uma probabilidade 11% menor de vir a desenvolver o problema do que aqueles que fazem menos de uma hora de atividade física por semana.
 
O estudo envolveu 136.846 pessoas nos EUA, Europa e Ásia que, inicialmente, tinham uma pressão arterial normal. No decurso da investigação, mais de 15.600 desenvolveram hipertensão num período que variou entre os dois e os 45 anos. 
 
“A hipertensão é um factor de risco em termos de doenças cardiovasculares e renais, pelo que é importante preveni-la e controlá-la”, explica Wei Ma, co-autor do estudo e professor da Shandong University School of Public Health de Jihan, na China, em comunicado divulgado pela AHA.
 
“Para reduzir o risco de elevada pressão arterial, é importante fazer mais exercício durante o tempo de lazer”, defende Ma, que acrescenta esta prática ajuda, entre outros benefícios, a manter um peso saudável e a dilatar os vasos sanguíneos, diminuindo as dificuldades de circulação.
 
Embora não tenham encontrado uma distinção clara entre as vantagens do exercício “obrigatório” feito no trabalho (por exemplo, na agricultura ou numa fábrica, onde os funcionários levantam pesos, passam muitas horas em pé e desempenham tarefas repetitivas) e o exercício feito como forma de lazer, os cientistas acreditam que esta segunda opção é mais benéfica e deve ser uma aposta.
 
Ma e os colegas ressalvam, ainda, que, apesar de a investigação associar o exercício recreacional à baixa pressão arterial, não prova, de forma determinante, que o mesmo previna o problema e evite o seu aparecimento. O que acontece é que, esclarecem os investigadores, aqueles que se exercitam por diversão tendem a ter estilos de vida mais saudáveis, encontrando-se mais protegidos.
 

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo (em inglês).

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close