Saúde

EUA: Anónimo paga cirurgia de menina de três anos

Um benfeitor anónimo financiou a cirurgia de uma menina norte-americana de três anos que nasceu com malformação facial que lhe dificultava a fala e a alimentação.
Versão para impressão
Um benfeitor anónimo financiou a cirurgia de uma menina norte-americana de três anos que nasceu com malformação facial que lhe dificultava a fala e a alimentação. Ao saber da história da pequena Kaitlin Nguyen, cujos pais não tinham dinheiro para a operação, o generoso desconhecido fez questão de ajudar.
 
Graças a este gesto solidário, Kaitlin foi, na terça-feira, submetida a uma cirurgia no Hospital de Mount Sinai Roosevelt, em Nova Iorque, para remoção do tecido linfático que lhe cresceu, em excesso, sob o rosto, desenvolvendo uma aparência semelhante à de um tumor cancerígeno, embora sem ameaças para a saúde da menina.
 
Em entrevista ao Huffington Post, o médico que liderou a operação, Gregory Levitin, contou que os pais da criança lhe pediram ajuda para solucionar o problema depois de uma tentativa falhada no primeiro ano de vida de Kaitlin, mas depressa perceberam que não tinham possibilidades de pagar o procedimento.
 
Foi então que Levitin se lembrou de um caso antigo que acompanhou há alguns anos: à data, um anónimo ofereceu-se para pagar a cirurgia de um homem com um problema semelhante ao de Kaitlin e ficou tão impressionado com o resultado que pediu ao especialista que voltasse a contactá-lo se surgisse outra história do género.
 
Quando a companhia de seguros se recusou a financiar a operação da menina, o médico não hesitou e o benfeitor disponibilizou-se, de imediato, a cobrir todos os custos e ajudar Kaitlin a concretizar o sonho de “sentir-se bonita”.
 
Citada pela ABC News, a mãe de Kaitlin, Thuy Nguyen, confessou que “as crianças são muito cruéis na escola” devido à aparência da filha e garantiu que a menina ficou “radiante” quando soube que poderia ser operada. “Adorava poder agradecer à pessoa que tornou isto possível”, frisou a progenitora. 
 
Embora a cirurgia tenha sido desafiante – até porque obrigou à remoção de tecido sem danificar os nervos envolventes -, o procedimento correu “maravilhosamente”, garantiu o cirurgião ao Huffington Post, acrescentando que a criança está a recuperar bem e vai ver, de futuro, muitas mudanças positivas na sua qualidade de vida.
 
“Esta operação veio, de facto, mudar as regras do jogo. A minha expectativa é a de que ela venha a ser como qualquer outra menina de três anos, a caminhar pela rua com os seus bonitos olhos castanhos e um sorriso feliz”, finalizou Levitin.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close