Saúde

Estudo reforça valor do peixe para saúde do coração

Um estudo da Universidade de Pittsburgh, nos EUA, comprova que os ácidos gordos ómega 3, presentes no peixe, ajudam a reduzir a inflamação e a formação de gordura nas artérias coronárias. São boas notícias para os portugueses que são dos principais c
Versão para impressão
Um estudo da Universidade de Pittsburgh, nos EUA, comprova que os ácidos gordos ómega 3, presentes no peixe, ajudam a reduzir a inflamação e a formação de gordura nas artérias coronárias. São boas notícias para os portugueses que são dos principais consumidores de peixe no mundo.

O estudo analisou dados de homens japoneses, cuja gastronomia é à base de sushi (prato constituído por diversos peixes), e de homens de meia-idade a residir nos EUA.

Os resultados confirmaram que os japoneses têm menor incidência de calcificação da artéria coronária do que os norte-americanos que apresentaram ter três vezes mais calcificação.

“Estudos anteriores investigaram uma menor ingestão de ácidos gordos ómega-3 do que as pessoas no Japão costumam comer. O nosso estudo parece indicar que o nível de ácidos gordos ómega-3 consumidos deve ser maior do que se julgava para poder proteger o coração”, revela Akira Sekikawa, professor de epidemiologia da Universidade de Pittsburgh.

Os investigadores – em conjunto com parceiros no Japão, Havai e Filadélfia -acompanharam cerca de 300 homens durante cinco anos, seguindo múltiplos fatores que afetam a saúde cardiovascular, incluindo o tabagismo, o nível de colesterol, o consumo de álcool, a pressão arterial e a taxa de diabetes.

Menos peixe = a calcificação das artérias

Após a contabilização de fatores de risco para doenças do coração, os homens norte-americanos apresentaram três vezes mais incidência de calcificação da artéria coronária do que os japoneses. Já, os níveis de ácidos gordos de ómega-3 eram 100% mais elevados nos japoneses do que nos norte-americanos.

A ingestão média de peixe por cada japonês, que vive no Japão, é de cerca de 100 gramas por dia, enquanto que um norte-americano residente nos EUA come cerca de 7 a 13 gramas diárias.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, as doenças cardíacas são a principal causa de morte nos EUA e no mundo. No entanto, no Japão esta tendência não se verifica, sendo o cancro a principal doença.

“Os nossos resultados confirmam que vale a pena olhar de forma diferente para o efeito do ómega-3 sobre as doenças do coração, especialmente quando consumido em quantidades superiores às que antes se julgava suficientes”, concluiu Sekikawa.

Segundo informação divulgada em 2010 pelo projeto “Que peixe Comer”, da Liga para a Protecção da Natureza, os portugueses comem 57 quilos de pescado por ano per capita, sendo que no pódio mundial dos consumidores de peixe, Portugal ocupa o terceiro lugar, logo a seguir aos islandeses e aos japoneses.
 

Clique AQUI para ler o estudo (em inglês).

Notícia sugerida por António Resende 

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close