Ambiente

Estudo: Orangotangos felizes vivem mais anos

NULL
Versão para impressão

Uma equipa de investigadores dos EUA e do Reino Unido elaborou um estudo para medir a felicidade de 200 orangotangos residentes em jardins zoológicos. Os investigadores concluíram, num estudo publicado na revista Biology Letters, que os animais mais felizes podem viver até 11 anos mais.

O estudo, liderado por Alex Weiss da Universidade de Edinburgh, mediu o grau de felicidade/bem estar de cerca de 200 animais a partir de um inquérito de quatro perguntas feito aos seus tratadores.

Depois de defenir os valores de felicidade de cada orangotango, a equipa conseguiu – ao acompanhar os mesmos animais durante sete anos – estabelecer uma ligação direta entre estes valores e a sua esperança média de vida.

Segundo o estudo, os orangotangos mais felizes viveram em média mais sete anos. Nos extremos dos resultados, a diferença em termos de longevidade, entre o orangotango menos feliz e o mais feliz, foi de 11 anos.

Segundo explicou o coordenador do estudo à BBC, este estudo é importante porque mostra que é possível “prolongar a vida de um orangotango monitorizando a saúde dos animais que parecem infelizes”.

Por outro lado “estas medidas de felicidade e bem-estar poderiam ser usadas para determinar se um animal está preparado para ser reintroduzido na Natureza”, acrescenta o autor.

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo publicado na Biology Letters.

 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close