Ciência

Estudo: Humanos reagem à música logo que nascem

O elo que estabelecemos com a música é gerado logo após o nascimento. A investigadora portuguesa Helena Rodrigues revela como os bebés reagem aos estímulos da voz falada e cantada logo após abrirem os olhos pela primeira vez.
Versão para impressão
O elo que estabelecemos com a música é gerado logo após o nascimento. O estudo da investigadora portuguesa Helena Rodrigues revela como os bebés reagem aos estímulos da voz falada e cantada e como o corpo humano reage “musicalmente” logo após abrirmos os olhos pela primeira vez.

Os bebés reagem à música, ficam atentos, mexem-se e palreiam. Estes são alguns dos comportamentos observados pela investigadora da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa (UNL), que este sábado vai apresentar o seu estudo no simpósio “Música, Poesia e o Cérebro”, em Lisboa.

“Nascemos já com uma capacidade para a música, para reagirmos musicalmente”, explicou à agência Lusa Helena Rodrigues. Até aos seis meses de idade, os bebés exprimem-se ao som dos ritmos musicais, através da sua postura corporal, da sua própria voz e através da atenção que reservam àquilo que estão a ouvir no momento.

A docente da UNL refere que mesmo os bebés com apenas dias de vida já respondem ao timbre do pai e da mãe. Na opinião de Helena Rodrigues, estes comportamentos demonstram que os serem humanos têm “propensão” para a música.

Música influencia toda a família

Em sessões musicais, a investigadora conseguiu observar que a música “tem um efeito sobre o bebé e, esse efeito que é causado na criança, tem um efeito sobre a mãe ou sobre o pai”, espalhando-se assim “a todo o grupo” que participa nestes eventos.

Nesse sentido, Helena Rodrigues acredita que a música promove um “sentimento de pertença”, podendo ser usada como “ferramenta para o desenvolvimento humano integral” e para o “bem-estar social”.

Para ilustrar esta questão, a investigadora da UNL relembra o trabalho que desenvolveu em Portugal, com mães reclusas, e na Bélgica, com mães com depressão pós-parto. As progenitoras que, no início das sessões musicais, mostraram desconfiança e indiferença, acabaram por cantar para os seus bebés instintivamente.

Helena Rodrigues vai estar este sábado, dia 25 de Maio, nas conferências do “Música, Poesia e o Cérebro”, que vão decorrer na reitoria da Universidade Nova de Lisboa, em Campolide (Lisboa).

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close