Ciência

Esta sexta-feira à noite há “Lua azul” nos céus

Esta sexta-feira é noite de Lua azul. Não, não vamos ver a Lua mudar de cor: trata-se apenas da designação dada ao raro aparecimento de uma segunda Lua Cheia num único mês, que acontece cerca de uma vez a cada dois ou três anos.
Versão para impressão
Esta sexta-feira é noite de Lua azul. Não, não vamos ver a Lua mudar de cor: trata-se apenas da designação dada ao raro aparecimento de uma segunda Lua Cheia num único mês, que acontece cerca de uma vez a cada dois ou três anos.
 
A primeira Lua Cheia de Agosto iluminou os céus noturnos no passado dia 1 e amanhã, último dia do mês, vai voltar a aparecer. De acordo com a NASA, a explicação para este fenómeno reside no facto de o nosso calendário não estar em sincronia perfeita com a órbita lunar.
 
“As luas cheias estão separadas entre si por 29 dias, mas a maioria dos meses têm 30 ou 31 dias. Portanto, é possível que duas luas cheias encaixem no mesmo mês, o que, em média, se verifica a cada dois anos e meio”, explica a agência espacial norte-americana. 
 
Mesmo que esteja em questão um ano bissexto, como é o caso de 2012, Fevereiro, com 28 ou 29 dias, é o único mês do ano em que o fenómeno da Lua azul não pode ocorrer. Aliás, é possível que, em determinados anos, Fevereiro não tenha Lua Cheia: nessas situações há uma Lua Cheia no final de Janeiro e outra no início de Março.
 
Embora, talvez para desilusão de muitos dos amantes da astronomia, não possamos, esta sexta-feira, ver a Lua tornar-se azul, relatos com séculos de história que chegaram até nós contam que tal já aconteceu. 
 
Em 1883, por exemplo, com a erupção do vulcão Krakatoa, na Indonésia, toneladas de gases e cinzas ficaram a pairar no céu e subiram até à atmosfera terrestre, o que fez com que a Lua fosse vista, em todo o mundo, durante vários anos, com uma coloração azulada.  
 
Segundo a NASA, erupções potentes de outros vulcões também tornaram a lua “azul” aos olhos dos habitantes do planeta Terra, como aconteceu em 1983, depois da explosão do vulcão El Chichon, no México, e situações semelhantes ocorreram diversas vezes após enormes incêndios florestais em diversas partes do globo.
 
Em qualquer dos casos, amanhã à noite, valerá a pena olhar para o céu para contemplar a segunda Lua Cheia do mês. Perdida a ocasião, só será possível voltar a fazê-lo em 2015.

[Notícia sugerida por Maria Sousa e Diana Rodrigues]

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close