Mundo

Espanha: Bebé roubada há 44 anos encontrou a mãe

Uma mulher espanhola encontrou, ao fim de 44 anos de vida, a sua mãe biológica, a quem foi dito que tinha morrido durante o parto quando, na verdade, fora adotada.
Versão para impressão
Uma mulher espanhola encontrou, ao fim de 44 anos de vida, a sua mãe biológica, a quem foi dito que tinha morrido durante o parto. Na realidade, María Jesús Valero foi adotada logo após o nascimento por um casal de Valência sem que a verdadeira progenitora fosse informada mas, esta terça-feira, pôde abraçá-la pela primeira vez.
 
No final de Março de 1968, a mãe, Manuela, hoje com 80 anos, deslocou-se a um hospital privado na Corunha para dar à luz porque, segundo o médico que o acompanhava – e que era também padre na aldeia onde vivia – o parto seria complicado, ao contrário do que acontecera com os seus seis filhos mais velhos, que vieram ao mundo em casa sem qualquer problema.
 
Porém, logo após o parto, Manuela foi informada de que o seu bebé tinha nascido morto. Embora forçada a aceitar, nunca acreditou totalmente na versão do hospital, em especial porque, como explicou à família ao longo de décadas, tinha ouvido o choro da criança por uns segundos e sentiu-o mesmo agarrar-lhe a mão “com muita força”. 
 
Sempre que ouvia histórias sobre bebés roubados em hospitais espanhóis durante os últimos anos do franquismo, Manuela sentia-se inquieta e pensava que, provavelmente, teriam feito o mesmo à sua filha que, até há pouco tempo, julgava ser um menino. E era verdade.

Ansiado encontro aconteceu esta terça-feira

 
Quando completou 14 anos, idade em que os jovens são obrigados a fazer o documento nacional de identificação, os pais adotivos de María Jesús terão pago dois milhões de pesetas para que fosse considerada como filha biológica. Porém, o valor não chegou para ocultar a realidade, que acabou por ser descoberta.
 
Desde que soube que tinha sido adotada, María Jesús nunca mais parou de procurar a mãe, tendo mesmo conseguido, pela primeira vez na história, autorização para consultar os arquivos da Província de Valência na tentativa de encontrar o seu paradeiro.
 
Esta terça-feira, ao fim muitos anos de espera, o ansiado encontro aconteceu. “Sinto uma mistura de alegria e tristeza”, confessou ao jornal El Mundo. “Cumpri o meu objetivo, encontrei a minha mãe, mas perdi 44 anos de vida com ela. Estou muito emocionada por conhecer toda a família, não estou habituada a estar rodeada de tanta gente!”, acrescentou María de Jesús. 
 
A mulher falou ainda nas palavras da mãe quando a viu pela primeira vez. “Apertei-lhe a mão com força e ela disse: eu sabia que tinha tido um bebé forte, que era impossível que pudesse morrer”, partilhou María de Jesús, que se prepara, agora, para tentar recuperar o tempo perdido com Manuela.

[Notícia sugerida por Elsa Martins, Sofia Baptista, Patrícia Guedes e Raquel Baêta]

 

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close