Inovação e Tecnologia

Espaço: Tecnologia portuguesa em novo projeto europeu

A multinacional portuguesa Active Space Technologies foi escolhida para integrar um novo projeto espacial europeu com um valor global de 3,5 milhões de euros e no âmbito do qual vai desenvolver um radiador desdobrável para satélites.
Versão para impressão
A multinacional portuguesa Active Space Technologies, especialista em tecnologia aeroespacial, foi escolhida para integrar um novo projeto espacial europeu com um valor global de 3,5 milhões de euros e no âmbito do qual vai desenvolver um radiador desdobrável para satélites.
 
Em comunicado enviado ao Boas Notícias, a empresa nacional revela que está em causa “um projeto ambicioso” e que a Active Space Technologies terá a seu cargo o “fabrico de todos os componentes mecânicos, nomeadamente as peças do radiador e do mecanismo de abertura”.
 
Segundo a companhia, o projeto pretende resolver um problema associado à necessidade de, dada a inexistência de uma atmosfera, após serem lançados, os satélites terem de rejeitar o calor por radiação sob pena de aquecimento de todo o sistema e consequente deterioração.
 
Hoje em dia, a solução, explica a Active Space Technologies, passa pela implementação, nos satélites, de radiadores, cujo papel é, precisamente, a emissão deste calor para o espaço.

O problema é que os radiadores “necessitam de ter uma grande área, o que pode tornar-se proibitivo tendo em conta das apertadas restrições” dos foguetões, utilizados como veículo de lançamento dos satélites.
 

A empresa portuguesa propõe-se, agora, resolver esta questão com recurso a uma novidade: a conceção de “um radiador desdobrável que assume uma configuração compacta durante as fases de lançamento, mas que se posiciona corretamente depois de estar em órbita”.
 
“Este projeto de desenvolvimento apresenta um enorme potencial de aplicação comercial, tanto em satélites de telecomunicações como em outros de índole científica, o que representa um avanço considerável na indústria aeroespacial global”, afirma João Neto, gestor do projeto por parte da Active Space. 
 
A conclusão do desenvolvimento, adianta a empresa portuguesa, está prevista para Janeiro de 2018. Além da Active Space Technologies, integram o consórcio responsável pelo projeto empresas de renome na industria aeroespacial como a SENER, Tecnalia, Thales França, Thales Itália e IberEspacio.  
 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close