Saúde

Escrever ajuda a curar feridas físicas

Já se sabe que desabafar ajuda a aliviar problemas emocionais. Mas uma nova pesquisa vem provar que escrever sobre emoções também ajuda a sarar feridas físicas.
Versão para impressão
Já se sabe que desabafar ajuda a aliviar problemas emocionais. Mas uma nova pesquisa vem provar que escrever sobre emoções também ajuda a sarar feridas físicas. O estudo, realizado pela Universidade de Auckland, Nova Zelândia, vem reforçar a ideia de que há uma forte ligação entre a mente e o corpo. 
 
O estudo tinha por objetivo perceber se escrever sobre sentimentos pode acelerar a cura de ferimentos físicos em adultos saudáveis. Para isso, foram estudados 49 adultos, entre os 64 e os 97 anos de idade que foram divididos em dois grupos.

Os participantes de um dos grupos foram convidados a escrever sobre situações que os preocupavam, durante 20 minutos, ao longo de três dias. O outro grupo escreveu, durante o mesmo período de tempo, sobre questões práticas do dia-a-dia relacionadas com a sua agenda e gestão de tempo.


Após este exercício, a equipa de investigação provocou (sob anestesia) pequenas feridas nos braços dos participantes que foram monitorizados, através de fotografias, ao longo de 21 dias. A equipa liderada pela psicóloga e professora Elizabeth Broadbent também monitorizou o nível de stress, sintomas depressivos e outros sintomas.

Onze dias depois dos ferimentos terem sido provocados, 76% dos participantes do grupo que tinha escrito sobre as suas emoções tinha sarado completamente as feridas, enquanto que no outro grupo apenas 42% dos participantes tinha sarado os ferimentos.

Os dados indicam também que os participantes que se curaram mais rápido, tinham dormido mais horas, na semana do exercício, o que indica que escrever pode ter promovido um sono mais repousante.

Quanto aos níveis de stress e depressão, a equipa não registou grandes diferenças entre os dois grupos, mas a investigadora Elizabeth Broadbent admitiu, em declarações à revista norte-americana Time, que o principal foco do estudo não era esse pelo que o questionário provavelmente não mediu de forma precisa estes parâmetros. 

O estudo conclui, assim, que exprimir, de forma escrita, emoções e sentimentos em relação a um determinado evento traumatizante pode ajudar, não só, a ultrapassar as feridas emocionais mas também a saúde física em geral, ao provar que escrever reduz para quase metade o tempo de cura de feridas físicas.

Clique AQUI para ler o resumo do estudo que foi publicado em Julho no jornal Psychosomatic Medicine.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close