Sociedade

“Entroikado” é a palavra do ano 2012

"Entroikado". É esta a palavra do ano de 2012, escolhida pelos cibernautas no site criado pela Porto Editora com vista à eleição do vocábulo que marcou a atualidade do país nos últimos 12 meses.
Versão para impressão
“Entroikado”. É esta a palavra do ano de 2012, escolhida pelos cibernautas no site criado pela Porto Editora com vista à eleição do vocábulo que marcou a atualidade do país nos últimos 12 meses. A palavra vencedora foi revelada esta sexta-feira na Biblioteca José Saramago, em Loures.
 
A votação estavam 10 palavras que, na sua maioria, refletiam os desafios e dificuldades com que os portugueses se debatem durante o ano que passou, como “desemprego”, “cortes”, “imposto” ou “manifestação”. Entre as possibilidades estavam também a “solidariedade” e a “democracia”, mas acabou por ser a palavra “entroikado” a ganhar a preferência dos utilizadores.
 
As 10 palavras foram escolhidas pela equipa de linguistas do Departamento de Dicionários da Porto Editora tendo como critérios “a frequência de uso, a relevância assumida” ou “simplesmente” a relação “com algum tema muito marcante” para a sociedade, explicou a organização.
 
“Entroikado” vocábulo venceu com 32% dos votos, mais do dobro da palavra “desemprego”, que ficou em segundo lugar, tendo sido alvo de 14% das escolhas. Na terceira posição, a completar o pódio, surge “solidariedade”, que abundou em 2012 e conquistou 12% dos votos.
 
Segundo a definição do Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, “entroikado” significa “sujeito às condições de austeridade impostas pela troika (equipa que negociou as condições de resgate financeiro em Portugal e é constituída por responsáveis da Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional”.
 
Em linguagem coloquial, pode também significar “[alguém] que está numa situação difícil; tramado; lixado”, lê-se no dicionário.

Palavra vencedora “é um neologismo”

 
Questionado pela Lusa sobre a palavra escolhida, José Manuel Matias, da Sociedade de Língua Portuguesa (SLP) afirmou que a vencedora é um “neologismo”, ou seja, corresponde à criação de uma nova expressão – “o que é legítimo, porque as línguas são dinâmicas e estão em constante transformação”, acrescentou.
 
O especialista disse que “[entroikado] não é um vocábulo” já que, “para o ser, tem de constar no dicionário” (algo que, a acontecer, apenas será “daqui a dois ou três anos”) e reconheceu que a escolha é sugerida pela conjuntura-económico social, qualificando-a como “uma brincadeira”. 
 
Desde 2009 que os portugueses são convidados pela Porto Editora, que tem uma forte componente de especialização na área dos dicionários e da lexicografia, a eleger a palavra do ano.
 
No primeiro ano, a palavra eleita foi “esmiuçar”. Em 2010 a vencedora foi “vuvuzela” e, em 2011, foi eleita a palavra “austeridade”, que, naquele ano, relegou a “esperança”, também a votos, para segundo lugar.

Clique AQUI para aceder ao site da Palavra do Ano. 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close