Sociedade

Ensino: privadas empregam alunos com dificuldades

A crise bate à porta de um número crescente de famílias. Por isso, algumas faculdades privadas do país empregam os seus alunos que tenham mais dificuldades económicas. As ocupações, em regime de part-time, garantem a isenção de propinas aos alunos qu
Versão para impressão
A crise bate à porta de um número crescente de famílias. Por isso, algumas faculdades privadas do país empregam os seus alunos que tenham mais dificuldades económicas. As ocupações, em regime de part-time, garantem a isenção de propinas aos alunos que as desempenham.

Esta é, portanto, a solução encontrada pelos estabelecimentos de ensino privados para evitar a saída de alunos, pela crescente dificuldade que têm em garantir o pagamento mensal das propinas, na ordem dos 300 euros. Além disso, há custos acrescidos na compra de materiais específicos de cada curso, muitos deles bastante dispendiosos.

João Redondo, dirigente da Universidade Lusíada de Lisboa e presidente da Associação Portuguesa de Ensino Superior Privado (APESP), diz ao Diário de Notícias que, atualmente, há “seis ou sete” alunos a trabalhar “para reduzir as despesas ou até com um contrato que lhes permite ainda receber algum dinheiro”.

O mesmo responsável adianta ainda que este ano “aumentou de forma significativa o número de estudantes a pedir soluções especiais para o pagamento de propinas”.

[Notícia sugerida pela utilizadora Céu Guitart]

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close