Ambiente

Energia solar pode chegar para “iluminar” o mundo

A energia solar poderá, afinal, vir a ser suficiente para abastecer de eletricidade todo o planeta. Um novo relatório concluiu que, mesmo que toda a eletricidade fosse proveniente dessa fonte, "só uma pequena parte do total da Terra seria ocupada".
Versão para impressão
A energia solar poderá, afinal, vir a ser suficiente para abastecer de eletricidade todo o planeta. Apesar da preocupação dos especialistas em relação ao espaço que os painéis solares ocupariam a nível mundial para produzir a energia necessária, um novo relatório concluiu que, mesmo que toda a eletricidade fosse gerada por intermédio de alternativas limpas e renováveis, “só uma pequena parte do total da Terra seria ocupada”.
 
O relatório “Solar PV Atlas” foi desenvolvido pelo WWF em parceria com as empresas First Solar, 3TIER e Fresh Generation. De acordo com o documento, dado a conhecer este mês, só menos de um 1% de todo o território do planeta seria necessário para satisfazer a procura total estimada de eletricidade em 2050 se toda a energia fosse proveniente do Sol.
 
Os analistas basearam-se em experiências realizadas em seis países e uma região – Indonésia, Madagáscar, México, Marrocos, África do Sul, Turquia e o estado indiano de Madhya Pradesh -, caraterizados por diferentes tipos de geografia, demografia, clima, economia e estrutura política.
 
Em comunicado, o WWF explica que todos estes locais “recebem níveis médios diferentes mas de boa qualidade de luz solar” e “todos mostram um vasto potencial para a aplicação em larga escala de painéis solares, uma tecnologia que está atualmente bem estabelecida, que é confiável e que está disponível para comercialização”.
 
Segundo o relatório, esta tecnologia, desde que a sua implementação seja bem planeada, não entra em conflito com os objetivos de conservação da Natureza, pelo que “nenhum país deve ter de escolher entre a adoção da energia solar ou o espaço para os humanos e o mundo natural”.

Energias renováveis e proteção ambiental podem avançar juntas
 

“A investigação descobriu que as plantas de produção de energia solar fornecem benefícios consideráveis a nível ambiental, incluindo a redução da pegada de carbono”, além de diminuir também as emissões de gases com efeito de estufa e metais pesados e o consumo de água”, explica Lettemieke Mulder, vice-presidente para a sustentabilidade da First Solar.
 
Além disso, o novo relatório suporta a ambição do WWF de alcançar um total de 100% de utilização de energias renováveis até 2050. “Estamos ativamente a promover o investimento e a adoção de medidas na área das energias renováveis para fazer com que isto aconteça”, garante Jean-Philippe Denruyter, gestor de políticas nesta área do WWF.
 
De acordo com os especialistas, o documento em causa é a prova de que a proteção ambiental e a utilização das energias renováveis podem avançar em paralelo, pelo que se justifica trabalhar para a implementação, em larga escala, de plantas para produção de energia solar “bem localizadas e operadas de forma responsável”. 

Clique AQUI para aceder ao relatório completo (em inglês). 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close