Negócios e Empreendorismo

Empresa vai reaproveitar desperdícios dos lagares

Uma empresa portuguesa vai aproveitar os desperdícios dos lagares de azeite transformando-os em produtos combustíveis com fins industriais.
Versão para impressão
Uma empresa portuguesa vai aproveitar os desperdícios dos lagares de azeite transformando-os em produtos combustíveis com fins industriais. O projeto, apoiado pela União Europeia, já está em fase de conclusão e deverá começar a produzir já em 2012.

A fábrica, que se encontra no processo final de construção, vai transformar as sobras da produção de azeite – nomeadamente bagaços de azeitona – em combustíveis destinados a utilizadores industriais. Prevê-se, assim, a produção de cerca de 50 mil toneladas dum produto granulado e combustível destinado à produção de calor.
 
Foram investidos cerca de seis milhões de euros para a realização deste projeto, com uma comparticipação de 75% pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). Aliás, a iniciativa é vista como um “projeto âncora” ao nível dos Programas de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE), no qual assenta o programa InovaRural.
 
Ao lado desta fábrica vai ser instalada uma outra unidade que vai produzir energia elétrica a partir de biomassa proveniente de florestas de toda a região. Esta unidade que com mais 4,5 milhões de euros de investimento.
 
“Esta unidade liga a produção de energia elétrica com atividades produtivas ligadas do setor primário sendo este um verdadeiro conceito de sustentabilidade: a energia ao serviço da sociedade”, sublinha Pedro Centeno, sócio-gerente da Tira-Chuva e responsável pelo projeto, à Lusa.
 
Os responsáveis da câmara de Mogadouro vêem este projeto de forma positiva, pois pode trazer vantagens a nível económico e social para o concelho e região do Mogadouro.

“Este é um dos maiores investimentos privados feitos no concelho de Mogadouro, ao qual lhe são acrescidas algumas vantagens como a resolução dos problemas ambientais provocado pelos lagares de azeite”, conclui António Pimentel, vereador do Comércio e Industria da autarquia de Mogadouro, à Lusa.

 
Prevê-se que a produção de combustível comece já no segundo trimestre de 2012, com o sócio-gerente a depositar grandes esperanças no mercado externo.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close