Inovação e Tecnologia

Empresa portuguesa desenvolve rede social inovadora

NULL
Versão para impressão
Chama-se Spreadd, é um dos mais recentes projetos da empresa portuguesa Opensoft e vai ser desenvolvido e promovido em Sillicon Valley, EUA, durante os próximos três meses. O objetivo desta nova rede social é potenciar a comunicação, colaboração e partilha dentro de empresas e organizações.

A ideia surgiu há um ano, mas só há seis meses começou a ser posta em prática, dentro da própria Opensoft. “Neste momento, o projeto ainda está na fase de desenvolvimento. A nossa empresa tem sido a 'beta tester' do Spreadd, ou seja, temos utilizado esta ferramenta internamente, antes de a abrirmos ao público”, disse ao Boas Notícias a diretora comercial e de marketing da companhia, Joana Peixoto.

Mas, afinal, o que distingue esta rede das demais? “O Spreadd é uma espécie de sensor ligado aos vários departamentos das empresas, que deteta todas as atividades humanas automaticamente e, assim, ajuda as organizações de maior dimensão e que se encontram dispersas em termos geográficos a manterem o potencial de criatividade e inovação”, explica Joana Peixoto.

“Se uma empresa com várias delegações afastadas entre si tiver dois departamentos a desenvolver o mesmo tipo de projeto, o Spreadd informa as duas equipas. Esta propagação de informação faz com que seja possível aumentar o trabalho colaborativo”, exemplifica a diretora.

Agora, o Spreadd vai expandir as suas fronteiras. O projeto foi aceite num programa de incubação de ideias nos Estados Unidos da América – o GSI Accelerators, promovido pela consultora Leadership Consulting.

Para a Opensoft, o mercado dos EUA é importante porque “tem um maior potencial para fazer testes e para a própria comercialização, até porque foi lá que nasceu a maioria dos projetos deste tipo e é lá que estão sediadas as empresas com maiores dimensões para quem o Spreadd é útil”, admite Joana Peixoto.

O Spreadd tem sido comparado a redes sociais como o Facebook ou o LinkedIn, mas a diretora comercial da empresa defende que esta comparação é forçada: “Os objetivos são totalmente diferentes, ao contrário do que acontece nesse tipo de redes, o nosso propósito é difundir informação no interior das organizações ou entre empresas.”

“As únicas semelhanças são a possibilidade de poder interagir com colegas de outras empresas, comentar as suas atividades e partilhar qualquer tipo de ficheiro”, conclui.

Apesar de ainda estar numa fase embrionária, o projeto Spreadd já está a aceitar subscritores e, até ao momento, os interessados são mais de 100. 

Clique AQUI para aceder ao Spreadd.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close