Negócios e Empreendorismo

Emprego: Alemanha recruta estrangeiros online

A Alemanha acaba de lançar dois sites na internet (um para o mercado alemão, outro para o estrangeiro) com o objetivo de atrair mão-de-obra qualificada e superar a escassez destes profissionais, um problema que ameaça a saúde económica do país.
Versão para impressão

A Alemanha acaba de lançar dois sites na internet (um para o mercado alemão, outro para o estrangeiro) com o objetivo de atrair mão-de-obra qualificada e superar a escassez destes profissionais, um problema que ameaça a saúde económica do país.

Lançados pelos ministérios do Trabalho e da Economia e da Agência para o Emprego, os sites procuram pessoal qualificado dentro do próprio país (http://www.fachkraefte-offensive.de/) e no estrangeiro (www.make-it-in-germany.com).

O primeiro site pretende facilitar o contacto entre os trabalhadores alemães e as empresas nos setores onde a procura é forte, como tecnologias, telecomunicações ou medicina.

Imigrantes são “sinceramente bem-vindos”

Com mapas e números, o site mostra que os Estados ('Lander') de Baden-Wurtemberg, no Sul, e da Renânia-do-Norte-Vestefália, no Oeste, são os que apresentam maiores necessidades de pessoal qualificado e apela a “garantir em conjunto o futuro da Alemanha”.

O segundo site, disponível em alemão e em inglês, tem por objetivo elogiar a qualidade de vida na Alemanha e facilitar a procura de emprego e instalação aos estrangeiros.

“Com o nosso portal, vamos mostrar aos trabalhadores estrangeiros qualificados porque vale a pena viver e trabalhar na Alemanha. Em particular, queremos mostrar-lhes que são sinceramente bem-vindos”, afirmou, em conferência de imprensa, o ministro da Economia, Philipp Rosler, salientando que a iniciativa dirige-se à União Europeia mas também a outros países.

200 mil trabalhadores estrangeiros por ano

O recrutamento de trabalhadores qualificados é uma prioridade governamental, dado que o envelhecimento acelerado da população e o desemprego baixo (6,7% em maio) compromete o futuro da economia alemã.

O recurso aos imigrantes mostra-se, assim, indispensável. Na mesma conferência, o presidente alemão da Agência para o Emprego, Frank-Jurgen Weise, estimou que sejam necessários 200 mil trabalhadores estrangeiros qualificados por ano, para satisfazer a necessidade desta mão-de-obra.

A crise que afeta a Europa do Sul está a aproveitar à Alemanha, que está a conseguir atrair numerosos jovens diplomados europeus, sem perspetiva de emprego nos seus países. Em 2011, esta situação permitiu-lhe acolher o maior número de imigrantes desde 1996.

Em particular, o número de pessoas provenientes da Grécia, apesar de fraco em valor absoluto, conheceu um crescimento de 90% em relação a 2010, enquanto que o número dos chegados de Espanha cresceu em 52%.

[Notícia sugerida por Vítor Fernandes]

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close