Sociedade

Dupla portuguesa cria rede social lusófona para o mundo

Um jornalista e um programador web querem unir os portugueses de todo o mundo numa única plataforma virtual. Para isso, criaram a Olláa +, uma rede social lusófona que tem por objetivo reunir os falantes da língua portuguesa dos quatro cantos do mund
Versão para impressão
Um jornalista e um programador web querem unir os portugueses de todo o mundo numa única plataforma virtual. Para isso, criaram a Olláa +, uma rede social lusófona que tem por objetivo reunir os falantes da língua portuguesa dos quatro cantos do mundo num único sítio online. 
 
A nova ferramenta abriu para testes em Junho deste ano e, atualmente, já conta com mais de 900 membros ativos. Idealizada por Luís Bizarro, de 54 anos, a Ollá+ visa potencializar as trocas culturais e intelectuais entre os portugueses espalhados pelo mundo.
 
“A função do Ollá+ é proporcionar um espaço comum, onde os membros possam visitar quando entenderem, ao seu ritmo, e desfrutar das possibilidades que a rede oferece”, explica o jornalista natural de Braga, que sublinha que não criou a plataforma para competir com o Facebook, até porque isso seria “uma gigantesca estupidez”. 
 
A intenção da rede é ser uma plataforma social de expressão lusófona, com abrangência em todos os países de língua portuguesa e também entre os imigrantes desses países e os estrangeiros falantes da língua.
“O objetivo é estabelecer pontes de conhecimento, cultural, social e empresarial entre todos os que pertencem à grande comunidade global que fala português”, refere.
 
A ideia nasceu quando, no início do ano, um amigo brasileiro lhe pediu para ajudar a uma amiga universitária que ia a Braga participar num seminário na Universidade Católica. 
 
“Na verdade, ela não precisou de mim, pois já tinha todas as informações e mais algumas. Ainda assim, fizemos amizade, trocámos ideias, falámos dos nossos países, das respetivas culturas, política, e tudo em português, sem necessidade de falar outra língua que não a nossa”, salienta Luís.
 
O programador que executou o projeto é Jorge dos Santos, que vive no Porto. Devido à distância que separa a dupla, o trabalho é feito via telefone e internet, tendo a divulgação do projeto sido feita exclusivamente por via de Facebook, grupos de interesse ligados a arte, cultural, universidades, entre outros.
 
Até à data, Luís Bizarro estima ter sido necessário um investimento de 5.000 euros para executar o projeto, tanto para gastos como para compra de aplicações, alojamento do projeto na rede, domínio, e tempo de trabalho investido na programação.

Aceda AQUI à rede social Ollá+.

Notícia sugerida por Maria da Luz e Maria Pandina

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close