Inovação e Tecnologia

“Drive” de DVD alterada analisa sangue e deteta HIV

Uma equipa de investigação sueca transformou uma "drive" de DVD tradicional num microscópio/scanner laser capaz de detetar, eficazmente, em poucos minutos e de forma barata, o vírus da sida (HIV) e de efetuar outras análises ao sangue.
Versão para impressão
Uma equipa de investigação sueca transformou uma “drive” de DVD tradicional num microscópio/scanner laser capaz de detetar, eficazmente, em poucos minutos, o vírus da sida (HIV) e de efetuar outras análises ao sangue relacionadas, por exemplo, com o ADN, as células e a presença de certas proteínas.
 
De acordo com Aman Russom, da Escola de Biotecnologia do KTH Royal Institute of Technology em Estocolmo, este dispositivo “transformado” consegue fazer análises sanguíneas e exames para observação de células com um micrometro de resolução, funcionando como uma espécie de scanner e microscópio em simultâneo. 
 
Segundo os investigadores que assinam a tecnologia – denominada Lab-on-DVD -, este avanço poderá permitir, de futuro, a criação de uma ferramenta barata e simples de usar com grandes benefícios para os cuidados de saúde nos países em desenvolvimento.
 
“Com recurso a um leitor de DVD comum criámos uma ferramenta de análise barata para o ADN, o ARN (ácido ribonucleico), as proteínas e até células inteiras”, explica Russom em comunicado citado pelo jornal britânico The Engineer. 
 
Atualmente, este tipo de testes é feito com recurso à citometria de fluxo, uma prática cujo uso é limitado nas nações menos desenvolvidas e que exige equipamentos que custam, em média, 30 mil dólares (cerca de 23 mil euros) cada, excluindo a manutenção. Pelo contrário, estes Lab-on-DVD poderiam ser disponibilizados por menos de 200 dólares (pouco mais de 150 euros) cada. 
 
Além disso, ao contrário dos dispositivos de citometria, muito pesados, complicados de operar e tecnicamente complexos, uma solução como o Lab-on-DVD poderá ser portátil e exigir menos especialização para ser utilizado.
 
“O baixo custo desta tecnologia torna-a uma ferramenta de diagnóstico e análise adequada para utilização na medicina clínica, próxima do paciente”, defende Russom. “Além disso, por oferecer resultados extremamente rápidos, o paciente não precisa de ir para casa esperar por uma resposta. Pode obtê-la logo na primeira visita ao médico”, conclui.

Notícia sugerida por David Ferreira

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close