Negócios e Empreendorismo

Douro testa modelo inovador de combate à traça da uva

A Real Companhia Velha (RCV) está a testar um sistema de combate à pior praga que afeta as vinhas do Douro - a traça da uva -, colocando difusores que lançam a "confusão sexual" e enganam o macho.
Versão para impressão

A Real Companhia Velha (RCV) está a testar um sistema de combate à pior praga que afeta as vinhas do Douro – a traça da uva -, colocando difusores que lançam a “confusão sexual” e enganam o macho. Este projeto faz parte de uma iniciativa mais ampla para promover a biodiversidade e a inovação na região.

Os difusores, pequenos filamentos que se colocam na vinha, estão impregnados com uma feromona (hormona sexual das fêmeas das traça-da-uva) que vai sendo libertada gradualmente criando uma “nuvem” que confunde e baralha os machos, impedindo o acasalamento e as posturas de ovos nos cachos.
 
Segundo explicou fonte ligada à RCV ao Boas Notícias, embora sintam a presença das fêmeas, na realidade os machos são iludidos uma vez que elas não estão lá. Assim não há acasalamento, nem ovos, o que “trava o desenvolvimento de lagartas de traça-da-uva que picam os bagos e causam prejuízos, sobretudo qualitativos, na vinha”.
 
A feromona é sintetizada laboratorialmente e é específica para esta praga, ou seja, apenas os indivíduos desta espécie a vão identificar, sendo totalmente inofensiva para o homem e para o meio ambiente em geral. Além disso, não causa qualquer tipo de resíduos, inclusivamente para o vinho.

Iniciativa quer proteger biodiversidade do Douro

Este projeto faz parte de uma iniciativa que a Real Companhia Velha está a desenvolver, em parceria com a Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e a Sogevinus, com o objetivo de incrementar a biodiversidade e valorizar a paisagem vitivinícola da Região Demarcada do Douro, Património Mundial da Humanidade pela UNESCO há dez anos.
 
A iniciativa “Maximização dos Serviços do Ecossistema Vinha – Biodiversidade em Viticultura” pretende promover práticas inovadoras e ecologicamente mais sustentáveis no sistema produtivo da uva, recorrendo ao desenvolvimento de novos produtos, processos ou tecnologias para incrementar a biodiversidade e promover a obtenção de vinho de grande qualidade.

A iniciativa, que arrancou em Março, tem a duração de quatro anos e será implementada em três fases. As conclusões serão partilhadas de modo a serem aplicadas na região que conta com cerca de 33 mil viticultores.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close