Ambiente

Dois linces-ibéricos vão morar no Zoo de Lisboa

Dois linces-ibéricos são os novos habitantes do Jardim Zoológico de Lisboa. O casal de felinos chegou, recentemente, ao Zoo no âmbito do projeto de conservação desta espécie, uma das mais ameaçadas do mundo.
Versão para impressão
Dois linces-ibéricos são os novos habitantes do Jardim Zoológico de Lisboa. O casal de felinos chegou, recentemente, ao Zoo no âmbito do projeto de conservação desta espécie, uma das mais ameaçadas do mundo, desenvolvido em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF).
 
Azahar, fêmea fundadora, desde Janeiro de 2005, do Centro Nacional de Reprodução do LinceIbérico (CNRLI), em Silves, e Gamma, macho que nasceu em 2010 no Centro de Reprodução de La Olivilla, em Espanha, mudaram-se para o parque lisboeta em Novembro e são, agora, embaixadores da espécie, pretendendo-se que, com a sua presença, contribuam para educar os visitantes.
 
Em comunicado enviado ao Boas Notícias, o zoo de Lisboa explica que a chegada dos dois felinos faz com que a instituição passe a ter “um papel estratégico no plano de conservação da espécie, enquanto ferramenta essencial de divulgação e de sensibilização junto da população”. 
 
O Jardim Zoológico assume, deste modo, “a responsabilidade de fiel depositário destes dois exemplares, que terminam, assim, a sua vida ativa no CNRLI, já que não reúnem condições para serem reintroduzidos na Natureza”. 
 
“Este projeto orgulha-nos muito e reforça a nossa missão: preservar e conservar espécies em vias de extinção”, congratula-se Francisco Naharro Pires, presidente do zoo de Lisboa, acrescentando que “o lince-ibérico é ainda mais importante por ser uma espécie endémica da Península Ibérica e tendo em conta o sério risco de extinção que enfrenta”. 
 
Para o secretário de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Miguel de Castro Neto, “a possibilidade de conhecer o lince-ibérico nas instalações do Jardim Zoológico permite a ampla divulgação da causa e o forte apoio ao processo de reintrodução em Portugal”. 

Espécie foi recentemente reintroduzida na Natureza em Portugal
 

Com uma distribuição geográfica muito reduzida, o lince-ibérico é uma espécie endémica da Península Ibérica e está classificada como Criticamente em Perigo pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN). 
 
A sua sobrevivência ainda está em risco, encontrando-se numa situação de pré-extinção. Se, em 1950, se estimava que existiam cerca de 5.000 exemplares na Natureza, hoje esse número é inferior a 350, adianta o Zoo de Lisboa.
 
Recorde-se que, como o Boas Notícias avançou no início da semana, e depois de ter sido considerada extinta em Portugal na década de 1990, a espécie foi, há poucos dias, reintroduzida na Natureza em território português com a libertação de dois linces na região de Mértola, no Alentejo. 
 
O casal de linces libertados – Katmandu, macho espanhol, e Jacarandá, fêmea portuguesa e nascida no Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico, em Silves – vai, agora, passar a viver num cercado inserido numa propriedade próxima da localidade de Romeiras e terá um “período de aclimatação” acompanhado por técnicos.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close