Ambiente

Desenterrada floresta com 298 milhões de anos

Investigadores chineses e norte-americanos descobriram uma gigantesca floresta tropical, com 298 milhões de anos, fossilizada por baixo de uma mina de carvão perto de Wuda, na China.
Versão para impressão
Investigadores chineses e norte-americanos descobriram uma gigantesca floresta tropical com 298 milhões de anos fossilizada por baixo de uma mina de carvão em Wuda (China). A investigação foi publicada na revista Proceedings of the Natural Academy of Sciences.

Esta floresta milenar da Mongólia Interior remete-nos para o Período Permiano, em que os continentes ainda estavam todos ligados entre si (a Pangeia). No total foram investigados 1.000 m2 da camada de cinzas, em três locais próximos, e descobertos seis grupos de árvores, um dos quais já extinto – o Noeggerathiales.

Segundo a equipa de cientistas, a floresta ficou preservada graças à cinza de um vulcão. A cinza vulcânica terá caído durante vários dias, acabando por proteger e esconder a flora.

Herman Pfefferkorn, líder da equipa de cientistas e professor da Universidade da Pennsylvania, equipara este caso à cidade romana Pompeia que considera ser uma “cápsula do tempo”.

Pfefferkorn refere, em comunicado, que a floresta “está maravilhosamente preservada”, sendo possível “encontrar um ramo com as folhas presas e depois encontrar o ramo seguinte e outro e mais outro. É realmente emocionante”.

Floresta permite entender as variações climáticas do Presente

A equipa de cientistas está agora a reconstruir a “primeira floresta na Ásia”, o que possibilitará compreender melhor a ecologia e o clima duma época em que ainda não existiam flores. Isto porque o clima do Período Permiano é comparável ao de hoje, o que permite entender as variações climáticas atuais.

O estudo foi financiado pela Academia Chinesa de Ciências, pelo Programa Nacional de Pesquisa Básica da China, pela Fundação Nacional de Ciência Natural da China e pela Universidade da Pennsylvania.

Clique AQUI para aceder ao estudo na revista Proceedings of the Natural Academy of Sciences e AQUI para aceder ao comunicado de imprensa da Universidade da Pennsylvania.

[Notícia sugerida por Maria Manuela Mendes]

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close